Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estórias na Caixa de Pandora

Não entendo esta coisa em mim

Sou de poucos suores. Sim, transpiro pouco, quase nada. Nos idos tempos de ginásio, não me lembro de sair de aulas, mesmo as mais puxadas, com a camisola molhada. Nas danças idem. No dia a dia, idem aspas aspas. Não que isto me incomode, muito pelo contrário. 

Agora o que não entendo é por que raio, quando estou na praia, de papo para o ar, transpiro. Eu estou deitada, sem fazer nenhum. 

Está visto: estar de papo para o ar é uma canseira. 

 

Às vezes saem-me assim umas coisas...

Volta e meia dou por mim a dar respostas dignas de um qualquer filme cómico. Normalmente são sempre a gozar comigo própria. Menos mal que assim não corro o risco de levar com ovo podre. Ou de me furarem os pneus do carro.

Das mais recentes que merecem registo para a posteridade.

 

Estava eu na costureira a ver possibilidades de alterar um vestido de renda que tenho. Uma das hipóteses era pôr uma faixa na cintura com um laço. Pergunta-me a costureira:

- Então e o laço seria à frente, de lado ou atrás?

Respondo:

- Atrás???!!!!! Com este traseiro só se fosse para parecer um ovo da páscoa. 

 

 

Na loja de tecidos, quando fui ver tecidos para o meu vestido. estava indecisa entre dois. O que acabei por escolher e um branco que fazia duas listas largas em preto e que achei que seriam na horizontal. Quando a assistente da loja me diz que as listas eram verticais, e era para ficar uma à frente e outra atrás, eu exclamo:

- Uma lista atrás? Com esta traseira? Só se for para parecer uma doninha.

 

 

 

 

Tchiiii também fui desafiada! Olhóbanho!

Não é nada o banho. É mesmo desafio entre bloggers que se vão nomeando para responder a umas perguntinhas. Não deixa de ser uma forma de nos darmos a conhecer um pouco mais, é certo. Vai daí, aceitei o desafio. Ou melhor, os desafios. 

 

Para este primeiro fui nomeada 2 vezes. Ora, só vou responder uma, sim?! 

Fui nomeada pela J.B.  e pela A.

 

Vamos lá às respostas do primeiro desafio. 

 

1- O que você não sai de casa sem?

Podia dizer uma série de coisas: relógio, telemóvel, brincos, sapatos, roupa (convém). Mas se há coisa que tenho mesmo de levar comigo, e é se quero voltar a entrar em casa, é a chave. {#emotions_dlg.sarcastic}

 

2- Qual seu animal favorito?

Gatos. Gatos. Gatos. E mais gatos. Sou uma cat person assumida. E óbvio que amo os meus três companheiros felinos.

 

3- Qual seu sapato favorito?

Sandálias rasas. Adoro. 

 

4- Produto de maquilhagem indispensável?

BB Cream. E máscara de pestanas, pronto. Mas se só puder escolher um é sem dúvida o BB Cream. Veio mudar a minha rotina de maquilhagem de "de vez em quando" para "todos os dias". Quase quase um "não saio de casa sem".

 

5- Qual seu maior sonho?

Escrever um livro. (no mínimo)

 

6- Qual o seu maior defeito?

Demasiado perfeccionista: exijo demais de mim mesma.

 

7- O que te irrita nas pessoas?

A falsidade. Associada a pessoas interesseiras, ui, é distância dessas pessoas.

 

8- Qual sua comida favorita?

Sou boa boca. Como de tudo. Ultimamente ando numa de peixes grelhados. Mas não me privo de uma boa francesinha, ou de um bife com batatas fritas, ou de um prato de massa.

 

9- Doce ou salgado?

Depende dos dias. Por norma prefiro os salgados, mas há dias que só me apetece algo... doce!

 

10- O que te deixa feliz?

As coisas simples da vida: um beijo do homem da minha vida, um abraço de uma amiga, um livro, ter os meus gatos ao colo, escrever sem pensar muito no que está a sair (por norma, perfeccionista como sou, bloqueio-me muito e estou sempre e pôr defeitos).

 

11- Escolha 5 blogs para fazer essa Tag.

 

Ângela Soeiro

Gaja

Alice

Luarte

Coisa & Criatura

 

 

O segundo desafio foi-me lançado por uma menina princesa, m-M

 

1 - O que te fez criar um blog?
Desde nova que mantinha os meus diários, daqueles de ursinhos com uma suposta fechadura de segurança, folhas perfumadas e essa pirosice toda. Mais tarde aderi aos cadernos, até porque passavam mais despercebidos à cusca da minha mãe, que até o que eu escrevia controlava. Eis senão quando tenho um bloqueio de escrita que durou largos anos. E quando me decidi a regressar a esta coisa dos diários e da escrita de confessionário foi quando tropecei em alguns blogues e achei piada à coisa. Comecei noutro blog, mudei há uns meses para este, com nova identidade. Ao início custou, mas agora já me sinto em casa, na minha pele.
*
2 - Como escolheste o nome para o teu blog?
O nome para o blog tem de ser algo com significado para mim. Foi assim com o meu primeiro blog. Quando me decidi a criar novo, andei um pouco a bater com a cabeça nas paredes. Sendo eu da área das clássicas, tendo eu desde sempre uma paixão pela mitologia, pareceu-me mais que adequado encarar o novo blog como a minha caixa de Pandora: aqui liberto tudo, mas guardo sempre a esperança. Curioso que sou assim na vida. À pancada que já levei, às coisas más que já me aconteceram, a força veio sempre desta esperança que me ilumina por dentro. 
*
3 - Qual o assunto que mais gostas de tratar no teu blog?
Não é um blog temático. É um blog diário, é um blog de partilha de estórias, de sentires, de opiniões, de ideias. Ao sabor dos dias, do que a vida me vai trazendo e levando, do que vou sentindo. Só isso.
*
4 - Qual foi o post que mais gostaste de escrever até agora?
Assim de repente não me ocorre nenhum em específico. Se pudesse indicaria um do meu primeiro blog. Foi um texto que me marcou muito ao escrevê-lo, também por aquilo que na altura vivia: uma depressão. Aqui nas Estórias da Pandora, um dos mais profundos que escrevi, daqueles em que senti pôr a alma a nu, foi este: http://pandora.blogs.sapo.pt/estorias-dignas-do-diva-de-freud-29224 
Por norma, dos que mais gosto de escrever são aqueles de humor negro. Eu devo ter assim uma costela de Gil Vicente, com queda para a sátira e a paródia. Posso não ter é piada.
*
5 - O que esperas para o futuro do teu blog? 
Continuar a ter tempo, assunto e vontade para vir aqui escrevinhar umas coisas. Do melhor que o blog me trouxe: amigos. Que este espaço continue a ser um dos espaços onde nos encontramos, trocamos ideias, sorrisos e lágrimas. E por isto faz todo o sentido continuar a vir aqui e a manter o blog activo.
E para me manter no 2 em 1, para este segundo desafio volto a chamar as meninas de há pouco:

Ângela Soeiro

Gaja

Alice

Luarte

Coisa & Criatura

 

 

Segurem-me!!!




Era isto e eu ficava feliz e contente. 

Até porque já tive este corte e foi dos que mais adorei.


Eu depois de escrever isto até que estava decidida a deixar crescer um pouco para ter mais "segurança e garantia" para refazer o corte. Mas eis que agora não tenho uma, mas duas profissionais com bastantes recomendações. E eis que me cruzo com esta imagem, deste corte, e não me sai da cabeça. 

Segurem-me para eu não ligar para uma delas a marcar assim para ontem. 

Correu mal, e agora?

Recentemente (mais de um mês) fui cortar o cabelo. E fui a uma cabeleireira diferente, recomendação de uma amiga. Sou fiel a esteticista, sou fiel a uma série de coisas, mas nunca me fidelizei a uma cabeleireira. Já tive algumas que fui meia dúzia de vezes (se tanto) seguidas, mas por qualquer motivo deixava de ir àquela e nisto vou experimentanto. Ora, a que eu andava a ir virou-se para as unhas de gel e não há espaço na agenda para cortar o cabelo. Vi-me obrigada a procurar substituta. E correu mal. A senhora foi um amor, uma simpatia, mas a sério, tirem-lhe a tesoura, que ela não sabe o que está a fazer. 

Nos últimos anos tenho usado o corte bob, mais comprido, mais curto, mais evidente, menos acentuado, mas é o meu corte de eleição. Uma ponta na frente mais comprida que outra. E dizia eu à senhora que a ponta pela qual ela passava os dedos estava mais comprida e era mesmo assim e para manter quando ela ZÁS, tesoura. Até me doeu! A minha cara deve ter sido tal que ela se apressou a dizer: deixo a outra mais comprida. E continua a cortar a que estava comprida para que ficasse mais curta que a do outro lado. {#emotions_dlg.barf}

Eu fiquei verde às riscas roxas. Fechei os olhos e respirei. 

Depois cortou muito curto em cima, e deixou pontas muito compridas na parte mais de baixo... resultado: os caracóis foram dizimados, tenho o cabelo com dois níveis distintos no corte, sem que haja uma escalado contínuo, se é que me faço entender. Ah, e o meu dito corte bob também foi para o galheiro. Isto de bob tem zero.

A questão é: deixo crescer um pouco até ir a outra refazer o corte, ou trato já de dar um jeito nisto? É que o jeito nisto pode resultar num corte demasiado radical neste momento, que é como quem diz, à rapazinho:

 

Se tiver melhor sorte desta vez com a cabeleireira, pode ser que consiga remediar com algo assim:
E tudo o que eu queria era isto:

 

Missão: encontrar uma cabeleireira que saiba tratar dos meus caracóis, cortá-los e respeitar o corte que eu peço e ser fiel, não mudar mais, nunca mais, só por motivos de força muito maior.

May the force be with me! 

 

E agora que andei a ver imagens de cortes, acho que vou é tratar de descobrir nova profissional dos cabelos e dar um jeito nesta coisa que tenho em cima da cabeça, que mais parece um caniche que foi à tosquia e a máquina encravou a meio.

 

Pandora de cabelo curtinho. Ahhhh o Gandhe vai-se passar!

 

Pág. 1/3