Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estórias na Caixa de Pandora

Pandora, a mais azeda!

Ando com uma falta de paciência que dá dó. Isso e crises agudas de mau feitio. Ou então ando só farta das pessoas nas redes sociais. 

É a dondoca que sabe de fonte segura que os mitras se estavam a meter com os betinhos à porta da Urban, e por isso os godzillas dos seguranças não tiveram outra solução que não fosse partir para a agressividade extrema. Isto é uma consumição quando estratos sociais diferentes se misturam! Puta que pariu!!

São as novas adolescentes dos tempos modernos, aquelas a raiar ali os 40 anos, que tanto apregoam estilos de vida saudável com muito exercício físico e alimentação saudável, que postam fotos dos seus abdominais definidos e dissertam sobre a mudança de estilo de vida e como nunca estiveram tão bem, mas depois a malta não percebe muito bem quando aparecem textos em que falam da epifania que tiveram ao verem fotos de si mesmas e aceitarem-se como são, sem maquilhagem, com celulite, com estrias, com rugas, com pneu e barriga inchada. E cereja no topo do bolo, porque são elas mesmas sempre, quer estejam de sapatilhas (ténis para os lisboetas) ou de saltos, de chinelos ou descalças.

E eu reviro os olhos com estas epifanias, compreensíveis na parvoíce dos 15 anos, e passam-me assim comentários pela cabeça do tipo: oh riqueza, se não sofres de transtorno dissociativo de personalidade, esquizofrenia, e como obviamente não és o Pessoa, deixa-te de merdas que já tens idade para isso.

A mais doce agora deu para fazer vídeos e eu reviro os olhos a cada trejeito que ela faz com a boca(rra), uns tiques manhosos, que me deixam na dúvida se a moça não estará com espasmos. Isso e a tremenda falta de naturalidade, incongruente para quem se tem por uma comunicadora nata, com formação e tudo. Ah e a puta da mania que Lisboa é por si só o país e o norte é logo ali acima de Santarém. 

Ando com uma falta de paciência que dá dó. E crises de mau feitio. Ando farta das pessoas no geral, das parvas em particular.

Ou então ando com uma ressaca de nicotina do caraças porque deixei de fumar há uma semana. Era uma decisão de ano novo. Ainda vou a tempo!!

 

Férias report

IMG_20171021_205801.jpg

Fiz marmelada pela primeira vez. Ficou bem boa!

 

Caminhada pelos passadiços na Barrinha de Esmoriz (ou Lagoa de Paramos). O gatinho fofinho que aparece na última foto deixou a sua marca dentária na minha mão. Mea culpa, que o gatinho deixou fazer festinhas, deitou-se de papo para o ar e eu, feita estúpida, a saber que a maioria dos gatos não gosta que lhe mexam na barriga, o que fui fazer?! Pois... Quatro dentes cravados na mão, um dos quais deixou um furo algo profundo, que me tem dado cuidados. Adiante, são cerca de 8 km na natureza que valem a pena.

IMG_20171025_141852.jpg

No dia mundial da massa fiz um belo de um macarrão com salsichas. Soube tão bem!! 

IMG_20171025_172348.jpg

Iniciam-se leituras numa esplanada com vista para o mar, acompanhada de um sumo natural de manga. 

 

So far, so good! 

 

 

E planos?

Bem, para já está devidamente registado na agenda:

  • a consulta de oftalmologista (checkup anual e nova receita para lentes de contacto), a consulta com a nutricionista;
  • um almoço com a minha amiga do peito, que já foi mamã e eu estou em ânsias para ir conhecer a minha "sobrinha";
  • um jantar para reunir um grupinho de amigos, que não se vê há meses, seguido de uma ida a uma noite latina tirar o pó aos sapatos e dançar umas salsas.

Se o tempo permitir:

No restante tempo, descansar, dormir, ler, namorar, cozinhar, tudo com muito prazer e descontração... enfim, estar offline do resto do mundo.

Será que uma semana chega para tanto?

 

Início de férias

Ora pois que finalmente chegou a ansiada semaninha de férias em outubro. 

E para começar em beleza, literalmente, fui experimentar um cabeleireiro novo, não andasse eu mortinha depois de tão maravilhosas opiniões.

Pois que o moço é do mais profissional que já vi. Ele faz diagnóstico capilar, desfia ali um rosário de dicas e conselhos para tratamento do cabelo, ajudou a escolher a cor, explicou o que ia fazer, tendo em conta que tenho brancos teria de usar um tom neutro (cor base) ao qual adicionaria o tom que eu pretendo (vermelho), e depois uma técnica de coloração que até à data nunca experimentei em lado nenhum. Passo para a lavagem, e é tratamento xpto, até a puta da cadeira para lavar o cabelo tem massagem e estão ali a passar-nos a mão no pelo da cabeça enquanto a cadeira massaja as costas. 

Ah que regalo!!!

Passemos ao corte, deu sugestões, com o meu avalo passou à acção, espetáculo, aquilo sim é um hairstylist.

Secagem ao natural (lá com uma maquineta que nunca tinha visto), um pouco de difusor no fim para acentuar os caracóis. "Vai levar algum dos produtos?", ah pois claro, o shampoo de coloração da Kerástase, que verdade seja dita já andava à procura dele mesmo. Todo fofucho ainda me ofereceu umas amostras de máscara e um mini shampoo de 80 ml. 

Estava eu a sentir-me qual diva de Hollywood. E tal e qual diva de Hollywood, fatura de 75€.

Ao menos a massagem enquanto lavava o cabelo foi de borla.

Ora a ver: a maioria das cabeleireiras onde tenho ido por norma fazem tipo pacotes: corte + brushing, cor + corte + brushing, e por aí. Ali não. Cada item tem o seu preço. Coloração X, lavagem com produtos xpto Y, secagem não sei das quantas Z, corte W. Tudo somadinho, e tendo em conta que ainda juntei um shampoo de marca topo, ora toma lá Pandora, uma fatura de cabeleireiro como nunca tiveste. 

Se valeu cada cêntimo? Ah valeu. Se tenciono voltar? Provavelmente. Principalmente por causa da coloração. A cabeleireira que me tem tratado do cabelo nos últimos meses é espetacular, sempre gostei dos cortes que me fez, mas já a coloração deixa a desejar. Desbota imenso, seca-me muito o cabelo (e se ele já é seco por natureza, fica a parecer um fardo de palha), ao fim de 15 dias ainda me sai tinta do cabelo. E tive pessoas a dizerem-me que o cabelo rosa me ficava bem. WHAT????? Eu pintei de vermelho pá!! Pois, desbotou em menos de nada. 

De maneiras que, depois desta minha experiência, só me ocorre citar a alminha inteligente que disse: "não há mulher feia... há mulher pobre!"

 

Há a expetativa, e há a realidade

lavatório.JPG

 Atentem neste belo exemplo de decoração clean, minimalista. 

Ah, sente-se a harmonia, a elegância, o charme.

Bonito, não é?

Dá vontade de ficar ali, em modo zen... 

Mas depois uma pessoa acorda para a vida, acaba de limpar o rabinho, puxa o botão do autoclismo e quer ir à sua vidinha.

Eis senão quando o cenário idílico perde o encanto.

Onde está o sabonete para lavar as mãos?????

 

Let's WOW

 

 

 

Se pensavam que eu ia falar da coleção de Heidi(nha) para o Lidl, estão redondamente enganados. Mas sim, vou falar da minha última descoberta de produtos do Lidl que me deixou, uma vez mais, WOW!

Tenho a pele dos pés seca. Muito seca. Muito, muito seca. Portanto há que hidratar, hidratar e hidratar. Esfoliar, passar pedra pomes, hidratar, hidratar e hidratar. E não, não é só no verão, quando andam mais expostos. É hidratação o ano todo, caso contrário a pele pode gretar e aí é doloroso, incomodativo e pouco amigo dos collants.

Adiante, com a prioridade da hidratação dos pézinhos de princesa já perdi a conta aos cremes que experimentei. Desde o nivea da latinha azul, a vaselina, a várias marcas no mercado para hidratação dos pés, vários preços, marcas conhecidas, marcas brancas, uns gostei mais que outros, mas ainda não tinha encontrado o tal. Andava eu numa de experimentar o da ISDIN, porque li maravilhas sobre ele, mas eis que numa das minhas habituais idas ao Lidl para compras me deparo com uma novidade: creme para pés com ureia. Por 1,29€, embalagem de 100 ml, pensei "porque não experimentar este primeiro e se não me agradar, lá vou ter de gastar 15 ou 16€ no outro?".

Ah que decisão sensata!!! Não é que ao fim de uns dias de aplicação senti os meus pés macios, hidratados, suaves, sedosos, lindos, frescos e fofos?! E só aplico à noite, depois do banho. Podia vencer a preguiça matinal e voltar a aplicar para reforçar a dose de hidratação. Até porque basta uma pequena porção (assim do tamanho de uma ervilhinha) e absorve tão bem. 

E pronto, é isto. Mais um produto bom e baratinho da marca Cien. Eu estou mesmo fã!

 

Post não patrocinado. Vi o creme, paguei-o e estou a usá-lo há cerca de um mês. 

 

Porque estou numa de thrillers?!

Clicar na imagem para ver a sinopse.

Porque os devoro. Este durou cerca de 5 horas (não consecutivas, mas também não muito distanciadas).

É intenso. É sufocante. É perturbador. É psicologicamente arrasador.

Ao contrário dos que tenho lido, neste Ao Fechar a Porta não há um crime, um desaparecimento, um mistério a desvendar. Há um intenso relato de primeira pessoa (a vítima), que vai alternando entre o passado e o presente, um intervalo temporal de cerca de 15 meses, até que passado e presente se encontram.

Seguimos lado a lado com a protagonista, sentimos a mesma incredebilidade, o mesmo pânico, a luta pela sobrevivência, porque dela depende a pessoa que mais ama e que deve proteger, alimentamos a mesma esperança para manter a racionalidade, e caímos no mesmo desespero a cada tentativa falhada. 

É difícil largar até chegar à última página e saber como termina, se bem ou mal. A leitura é fluída, os capítulos pequenos, a narrativa bem construída, tão bem construída que nos agarra, nos faz sentir um nó na garganta, um sufoco, a cabeça a andar à roda. Uma frustração enorme e incapacitante, uma revolta cega, são os sentimentos que este livro mais me despertou. O vilão desta história resume-se nesta expressão popular: lobo com pele de cordeiro. 

Um livro que explora a violência psicológica, como é tão díficil de perceber, de provar, de pedir ajuda. Como é tão incapacitante.

Partilho aqui uma opinião bem construída sobre este livro, e que está muito próxima da leitura que fiz. Li outras opiniões de quem não gostou assim tanto e viu falhas. Foram justificadas, não lhes tiro o crédito. Ainda assim, e porque opiniões são isso mesmo, eu gostei e muito deste thriller. Não tivesse parado só na última página (ai que assim desgraço-me a comprar livros porque não duram nada).

 

Eu sei, eu sei. Entre a minha última opinião que escrevi sobre um livro e esta, já li outros quatro. Gostava de escrever um pouco sobre cada um, e o tempo vai passando. Em breve terei uns dias de férias, vamos lá a ver se tiro um tempinho para me dedicar ao blog e a partilhar as leituras dos últimos meses. 

Balanço leituras de 2017, a 16 de outubro: 12 livros lidos. O objetivo era um por mês, e mesmo com os meus períodos de paragem, até recuperei e bem. Venha o próximo.