Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Estórias na Caixa de Pandora

Crónica para o grupo de escrita criativa (saiu, porra!)

Terminadas as mini férias da páscoa, eis que foi dia de regressar ao ativo. Dia de trabalho que acabou com aula de ginástica.

Sendo que eu estou para o exercício físico como os vegetarianos estão para a carne, é fácil perceber que vou para a aula em modo mandrião, como se uns carrascos invisíveis me arrastassem para uma sessão de tortura medieval. 

Lamento, mas não tenho o fit no meu código genético. Nunca serei como aquelas musas das redes sociais, que publicam fotos à velocidade da luz em trajes (menores) desportivos coloridos e apelativos à vista, que divulgam os seus vídeos a fazer levantamentos e agachamentos com a mesma facilidade com que eu barro manteiga no pão pela manhã. Manteiga de amendoim. 100% amendoim, sem aditivos, conservantes e outras cenas. 

Lá me arrastei para a aula. Cheguei cedo. Juntei-me a colegas e uma andava a distribuir pequenos ovos de chocolate, os resquícios da páscoa. Chega a professora e topa-nos a lambuzar os dedos de chocolate. Tremi. Estava com cara de Hitler, de quem nos ia fazer arrepender daquele inofensivo ovinho, de todas as amêndoas que andei a degustar nos últimos dias. Ah e o leitão assado com batatas fritas!!! Comi salada. Muita alface e laranja. Mas lambi os dedos com o leitão e as batatas fritas. Shiu!

Aula a começar. Quase me benzo, qual jogador da bola a entrar em campo. 

A primeira parte da aula é cardio e a Hitler de leggings fez coreografias softs. Sem grandes agachamentos e pulos que nos põem de língua de fora, a suar que nem... poupo-vos a imagem pouco sexy.

Colchões. Anuncia aquela voz de trovão. Bebo um gole de água, enquanto penso que dava jeito começar a levar uma garrafinha de oxigénio também para a aula. 

Hoje serão só abdominais. - Céus, morri e fui parar ao inferno. Por pouco os olhos não se soltaram das órbitas quando a vi a demonstrar os diferentes abdominais que teríamos de fazer. Em especial um, que por mais que eu tente, não há como atinar com aquilo, desequilibro-me e tombo para o lado, para além das dores. Não podia ser. Maldito ovo. Malditas amêndoas. Que se dane os buracos de celulite e o rabo da Sara Sampaio, que me deixa sempre a babar quando aparece nos anúncios dos biquínis da Calzedónia, enquanto a pequena morsa aqui lambe um magnum amêndoas.

E começa a tortura. Concentra-te. Respira. Não te esqueças de respirar. E vai contando. Porra, não dá para fazer tudo ao mesmo tempo. Está quase. Próximo. Daaaa-se, afinal ainda foi só O PRIMEIRO exercício. Da PRIMEIRA série. Hoje saio daqui de maca. E seguiu-se outro e mais outro, aquele do demónio é dos últimos. Como???? Já não aguento mais. Inspira. Expira. Concentra. Aperta a barriga! -  grita a Hitler de leggings tonificadas, com rabo de fazer frente à Sara Sampaio. 

E eis que chegou a vez do mais que temido. Aquilo é para levantar as pernas, bem esticadas, em direção ao teto, até levantar rabo e ficar só apoiada nas costas, depois baixar enquanto se levanta o tronco, depois recolhe as pernas para novo balanço e tá a levantar. Bem alto. Rabo também. Levanta tudo. Ai que caio, vou tombar, je vais tomber... não tombei. Oi? Fiz tudo? A sério?! Pela primeira vez?! Se conseguisse, corria para festejar. Corria dali para fora, entenda-se. Porque vai começar nova série e tá a repetir TUDO!!!! 

Alienei. Já pouco sentia. Só queria manter a respiração, para ter certeza que ainda estava viva. E terminou. UFA!!!!!

Alongar. 

Oh porra. Uma pessoa pensa que chega o descanso digno do guerreiro, e afinal ainda falta esticar o esqueleto até aos limites da dor. E puxa. E respira e vai mais abaixo. E onde eu tinha a cabeça para me meter nisto??? Deixa estar os buracos de celulite em paz.  

Acabou. Acabou. A-C-A-B-O-U! Estou viva. Mal me mexo, mas respiro e sinto dor. Estou viva, certo?!

Enrolo o colchão, bebo um gole de água, visto o casaco, agarro na mochila, e despeço-me com um: até quinta! De sorriso nos lábios. Só faltou a selfie pra espetar no Instagram, mas achei que ia assustar o pessoal, com o meu ar pouco fresca e pouco fofa. E nem as leggings pouco tonificadas me iam salvar a foto.

 

Ma-So-Quis-Ta! It's my middle name!

 

Qualquer semelhança entre ficção e a realidade experienciada pela minha pessoa na última aula de ginástica, NÃO é pura coincidência.

11 comentários

Comentar post