Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Estórias na Caixa de Pandora

Em equipa vencedora não se mexe!

IMG_20160724_194602.jpg

Antes não era tão arrojada a experimentar cenas no cabelo. Ir cortar era sempre um drama, domar a juba encaracolada era um drama ainda maior, experimentar cortes diferentes era coisa que me arrepiava a espinha, enfim... era uma "não me toques" no cabelo.

Até ao dia que fiz um corte radical curto e passei a amar os caracóis (já que não os conseguia domar, dei-lhes alguma liberdade). Depois vieram as primeiras brancas, e aí não dramatizei. Vai madeixas mesmo. E vermelhas. Logo. E a seguir achei que madeixas era coisa que dava trabalho e eu sempre tive pouca paciência para horas na cabeleireira, pintei tudo de uma cor. E como não tencionava andar todos os meses na cabeleireira a pintar, comecei a fazer coloração em casa. E fui experimentando várias marcas, variando os tons, sempre dentro da base castanha com reflexos vermelhos, e fui vendo o que ia ficando melhor, que tipo de produtos o meu cabelo gostava mais. No meio disto tudo, voltei a deixar crescer o cabelo, um cabelão enorme, ondas revoltas, até que a depressão me enfraqueceu tanto o cabelo que voltei aos curtos. Fiz o bob e apaixonei-me. Nos últimos anos, com pequenas variações, é o meu corte de eleição. E os tons mais caju no inverno, mais vermelhos no verão. E descobri as colorações vegetais à base de henna e rendi-me. Fui experimentando outras, sem amoníaco, volta e meia pintava na cabeleireira. Mas a verdade é que a coloração à base de henna é a que melhor resulta no meu cabelo. Hidrata-o bastante, a cor fica muito natural, dura, sem dramas, dois meses, é menos agressiva para o meu cabelo, e sai bem mais em conta.

Posto isto, e depois de algumas colorações na cabeleireira, outras profissionais compradas em lojas da especialidade, decidi regressar à minha henna e o resultado é maravilhoso.

Cortei e pintei em inicío de Junho. Tinha o cabelo seco, sem brilho, a cor bastante desbotada e o raio das brancas já a brilharem. No domingo apliquei a coloração de henna, e o cabelo ressuscitou. Está brilhante, extra macio, com um toque sedoso, super leve. 

Dá trabalho pintar em casa, é sempre mais prático alguém tratar disso por nós. Demora o seu tempo, mas prefiro essa demora em casa do que no salão, suja um pouco, embora com a prática nos tornemos exímias, mas o resultado é francamente superior e depois de já ter experimentado tanta coisa, regressei, de vez, à coloração vegetal. 

A marca que por norma uso é a Herbatint, o preço varia entre os 8,50€ e os 10€, depende do local de venda, de promoções, e para cabelos curtos uma embalagem dá para 2 aplicações. No inverno aposto na cor 5M, castanho claro caju, no verão na cor FF1 henna red. Na semana passada ia para comprar esta última mas não estava disponível. Em alternativa, tinha a marca Henna Plus, que também já tinha experimentado. É um pouco mais cara. Esta embalagem custou 15,50€ e traz menos produto, pelo que só dá mesmo para uma aplicação. Mas o resultado compensa o custo extra, e, da minha já experiência, sei que a cor vai durar mais, o cabelo fica hidratado por mais tempo, com aspeto saudável, brilhante e sedoso, portanto, investimento mais que justificado. 

Entretanto, e na linha da coloração vegetal, está debaixo de olho esta marca, já disponível na loja onde costumo comprar estes produtos. O preço ronda os 11€, o feedback das clientes da loja tem sido positivo, só ainda não foi desta porque a palete de tons disponíveis é mais restrita e o vermelho mais aberto que eu pretendia não existe. Mas o castanho caju do meu coração existe, e está na mira para daqui a uns meses.

Agora é aproveitar o verão e exibir um bonito vermelho brilhante no cabelo. Assim ninguém repara na celulite. 

8 comentários

Comentar post