Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Estórias na Caixa de Pandora

Leituras 2016

Leituras2016.jpg

Em 2015 li 8 livros.

Um dos poucos objetivos de ano novo que tracei para 2016 era ler, no mínimo, um livro por mês. Objetivo cumprido. Em 2016 li 12 livros, estou a meio do 13º, mas só o darei por terminado em 2017, pelo que não o incluo já nesta lista.

Claro que olhando para a Magda eu estou a anos luz de leituras realizadas. A Magda é uma leitora especial e ávida. Não sei como consegue, eu quando for grande também quero ser uma leitora assim. Vá, estou a melhorar. Aos poucos. 

Não leio para bater recordes, até me chateia um pouco quem o faz e quem tece pseudo críticas literárias, com direito a classificação numérica, como já aqui escrevi. Leio por prazer. Leio porque sempre gostei de ler, e sim, já fui uma ávida leitora, que devorava livros de 300 páginas em dois ou três dias, que nas pausas entre exames na faculdade lia livros para descontrair, e olhem que o meu curso era de literatura, não me faltavam muitos livros para ler. Mas a Magda, com o seu número impressionante de leituras, é diferente. Porque lê com paixão. Porque gosto imenso das opiniões que ela escreve sobre os livros que lê, e porque já me pôs a ler livros que eu não tinha ideia de ler, bem como me faz, algumas vezes, ir adicionar um ou outro à minha wishlist na WOOK. Obrigada, Magda, por seres uma verdadeira inspiração como leitora, e não só.

A rotina preenchida, o cansaço de tantos dias, outras tantas tentações para passar o pouco tempo livre e relaxar, tiraram-me tempo para me dedicar à leitura. E é um velho hábito que tento recuperar. Há dias que passo sem ler. Ainda não estou naquele nível de ler todos os dias, um pouco antes de dormir, pelo menos.

Este ano li um livro em dois dias, mas também estive às duas semanas sem ler. O meu ritmo de leitura anda incerto, inconstante, mas a tentar recuperar os velhos tempos de leitora sedenta, aos poucos, conforme o tempo e a disponibilidade o permitem.

Objetivo cumprido. Li 12 livros, dá a média de um por mês.

A grande descoberta de 2016 é, sem dúvida Carlos Ruíz Zafón, curiosamente, faz agora um ano que lia o primeiro livro dele, insistência da Magda, o primeio da saga Cemitério dos Livros Esquecidos, e um ano depois é com Zafón que mudo o ano e fecho a saga. 

Em 2016 li vários thrillers, reencontrei-me com duas das minhas escritoras favoritas, Isabel Allende e Joanne Harris. Desiludi-me com o clássico O Amante de Lady Chatterley. Em 2016 participei, pela primeira vez, num desafio de leitura conjunta (mais uma vez, obrigada Magda) e adorei. 

Para 2017 traço o mínimo de um por mês, um objetivo realista para mim. Mas espero daqui a um ano poder dizer que já consegui ler mais do que os 12 deste ano. 

 

7 comentários

Comentar post