Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Estórias na Caixa de Pandora

Planos suspensos

Cliché traçar planos de ano novo que, ainda nem ao fim do mês de janeiro, já se encontram esquecidos ou em incumprimento.

Cliché me assumo, que mesmo não tendo traçado uma lista de planos para o novo ano, o pouco que tinha em mente de levar avante está em modo suspenso. 

Leituras: pois que há quase três semanas que não pego num livro. Quando acabei a saga do Cemitério dos Livros Esquecidos, de Zafón, senti-me meia vazia, não seria qualquer livro a prender-me. Pedi emprestado o livro que ofereci a uma amiga, certa que não seria um balde de água fria. Prontamente a amiga mo emprestou e vergonhasamente ele jaz na minha mesinha de cabeceira. Desde que recebi a notícia da mudança de funções que, não só a cabeça anda a mil, como os nervos e a ansiedade fazem mossa no meu estado de espírito e disposição. Além disso, andei a levar documentação para ler em casa, e ando em esforço para cumprir o horário de trabalho, sem sair muitos dias fora de horas (facto que é apreciado na atual equipa: sair mais tarde é sinal de dedicação e empenho... os vómitos que esta mentalidade peregrina me dá).

Destralhamento: estava eu com planos para começar a operação limpeza, destralhamento e arrumação da garagem. Até seria uma ótima terapia, que comigo estas arumações e limpezas radicais ajudam-me a arrumar ideias e ocupar a mente para não me deixar levar pela ansiedade. Então o que me tem impedido? Ora bem, está a chover. E a chover eu estendo a roupa na garagem. E com roupa a secar na garagem não vou andar a desvirar caixas e mais caixas, a revirar tralhas, a separar o que vai, o que fica. Obviamente ia levantar pó, no mínimo, e ali com a roupa lavadinha estendida, não é lá muito boa ideia.

Alteração do quarto/escritório: depois de uma primeira ideia, com pedido de orçamentos, trocámos novas ideias, pensámos noutras soluções, chegámos a um consenso (e o que custa chegar a um consenso, porque nós os dois temos diferentes pontos de vista em decoração e o Gandhe não é dos que delega estas questões à gaja), e vai de pedir novos orçamentos. Resultado, ainda não temos os novos orçamentos, tão pouco estão os móveis a ser feitos, pelo que não faço ideia de quando terei a "remodelação" feita. Era suposto ser ainda no primeiro semestre do ano, mas a ser realista, estou a prever que seja mais tarde.

 

E é isto. A recuperar da crise de ansiedade, a construir novo método de trabalho e implementar nova rotina, às voltas com os planos que ficam suspensos. Um dia de cada vez e tudo se há-de resolver. 

 

2 comentários

Comentar post