Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Estórias na Caixa de Pandora

Só me apetece dizer asneiras

O meu Smart, carro mais fofo da dona, avariou. Assim, do nada, sem nada que fizesse prever. No regresso da hora de almoço, estaciono o carro e de repente, pum, um barulho, carro desliga e não volta a ligar.

Chamei o Gandhe, para alguma coisas servem os homens (tou a brincar), esteve de volta do bicho, e nada. Liga para a assistência, liga para o stand, afinal ainda não o temos há um ano, portanto há garantia. Mas os stands de usados aproveitam-se da ignorância das pessoas. Ah e tal não há garantia, a garantia é paga à parte. Para o raio que os foda. O cliente por lei, repito, por lei, tem UM ANO de garantia. O que pode ser negociado é a extensão dessa mesma garantia. Mas UM ANO é de lei e é obrigatório. Nos entretantos, e para que não restassem dúvidas, ligámos a uma amiga advogada, que só nos confirmou o que já sabíamos e avisou que, se fosse preciso, ela enviava uma cartinha ao dito stand. 

E assim foi o meu pequenino, de reboque, para a marca, já que o stand está a armar-se em esperto e a descartar-se da garantia, não indicou nenhuma oficina onde possa ter protocolo, paciência, o meu pequenino rumou à Mercedes, que o gajo é pequenino, mas é dos finos.

Eu acho que lhe deu uma crise de ciúmes, que eu tenho andado a babar pelo novo Twingo Night & Day, que vi recentemente ao vivo e a preto e branco e fiquei assim, perdida de amores. 

Agora o Smart que se ponha fino, porque vai na volta ainda o troco. 

 

8 comentários

Comentar post