Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estórias na Caixa de Pandora

Estórias na Caixa de Pandora

05
Mai15

Podre de boa

Hoje não era suposto ir à aula de ginástica, mas eis que houve mudanças de planos e o que tinha marcado teve de ser desmarcado, e lá vou eu cheia de vontade (faz de conta).

A aula hoje foi do demo. Agachamentos que me fizeram ver estrelas, abdominais que me deixaram sem fôlego. Toda trémula, sem forças, envio um sms a uma amiga, à saída da aula.

"Aula do demo. Vou aqui a arrastar os ossos."

Resposta dela: "Vais ficar podre de boa... pensa no resultado!"

Foda-se. A parte do podre já lá cheguei, agora a boa, está a anos luz. 

Desconfio que fraturei foi o dedo. Onde eu toco dói. 

 

05
Mai15

Eu bem digo que tenho cu de preta!

Na minha última aula de ginástica chamo a instrutora para tirar dúvidas sobre a prancha. Ela pensava que eu estava a fazer força na lombar e não no abdominal, e quando mete a mão dela no abdominal percebe que o tenho contraído. Então toca-me na lombar e assusta-se. Literalmente. Diz-me que tenho uma hiperlordose, mas mesmo hiper hiper. Tendo em conta que a moça é fisioterapeuta e anda a tirar o curso de osteopatia, levei o seu diagnóstico em conta.

Digo que sempre me lembro de ter assim esta curvatura lombar, de ter este rabo mega empinado... e ela disse logo:

- Pois, não tens o rabo grande, tens é uma hiperlordose. Devias tratar disso. 

Oi? Como? What?

Verdade que me fiquei pela parte de não ter um rabo grande. Afinal é problema de coluna. 

Entretanto falei com um amigo meu, fisioterapeuta, sobre o assunto. Diz-me que não há forma de tratar, posso é fazer exercícios que fortaleçam a zona lombar para minimizar problemas futuros. Mas para não pensar muito nisto. Esta fisionomia é muito comum nas africanas e brasileiras. Há quem tenha outras oses, eu tenho hiperlordose. 

Pronto, fico mais descansada por saber que:

a) não tenho o rabo grande, parece grande por causa da hiperlordose;

b) nasci no país errado, fosse africana ou brasileira e era uma miss, pá!

c) afinal há uma explicação fisionómica para me custar tanto, mas tanto, fazer abdominais... e eu a pensar que era preguiça! 

 

05
Mai15

O ano passado divas, este ano, pin up's!

No ano passado, o espetáculo de fim de ano da escola de dança, calhou-me o charleston. Experiência que adorei, e foi giro vestir literalmente a pele de uma diva dondoca dos anos 20. Foto aqui, das divas! 

Este ano o professor deu-lhe para nos passar uma coreografia de Lindy Hop. Na linha do charleston, mas já década de 40, a passar para 50, eis que os figurinos vão ser o estilo pin up. Eu já escolhi o meu:

Estive muito indecisa entre o vermelho e o branco. Mas optei pelo vermelho. Também estive tentada para este modelo, mais sexy, mais pin up. Mas acabei por escolher o modelo da imagem porque tenho a certeza que o vou usar depois, no meu dia a dia, no trabalho, ao fim de semana, no verão... já que gasto dinheiro, que seja para rentabilizar o vestido. E se alguém me chamar joaninha, vai ter de contar as pintas todas. 

Agora é esperar que o modelito chegue e não desiluda. 

Até lá, ensaios árduos da dita coreografia. Está a ficar engraçada. E a sair-nos do corpo, que aquilo parece fácil e a brincar, mas é bem exigente a nível físico. 

 

04
Mai15

Acampei no fim de semana: no sofá da sala!

O fim-de-semana prolongado foi de relax, como eu previra. O S. Pedro ajudou, que com a chuva e vento e trovoada que mandou, hoje temi ter acordado em Dezembro (fazia sentido, o dia da mãe não era a dia 8 de Dezembro?!).

Ontem, então, montei acampamento no sofá. Pus em dia as séries Gotham e Mentes Criminosas (a última temporada), vi o Taken 3, li muito, e à noite não resisti a rever (nunca me canso de ver) o filme Shall We Dance, que passou na Fox Life.

Precisava de um fim-de-semana destes, já que os anteriores foi em modo non stop, a mal parar em casa, sem tempo para sentar e ler, ou ver as minhas séries, ou descansar.

Tirei a barriga de misérias. Matei saudades do sofá. E os gatos de mim, já que acamparam em cima de mim no sofá.  

Como podem ver, um fim-de-semana muito interessante. 

Mas não estive reclusa em casa. Sexta à noite saí para uma noite de dança com os colegas das aulas de dança, Sábado aproveitei a tarde, timidamente primaveril, para andar a passarinhar, e até comprei umas calças vermelhas a pensar nos dias de sol que (supostamente) aí vêm. 

Hoje calço botas de cano alto para enfrentar a chuva torrencial que caía de manhã, e o que dava mesmo jeito era que tivessem umas ventosas nas solas. Temo ir pelos ares, com o vento que está.

E pronto. Acabou-se o que era doce. Vale que na próxima semana é o feriado municipal cá do sítio e a semana fica mais pequenina! 

 

Pág. 4/4

Sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pela estória de:

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D