Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estórias na Caixa de Pandora

Estórias na Caixa de Pandora

18
Jan16

Eu cuspi no santo, só pode!

Há quase um mês sem aulas de dança, primeiro porque houve férias de natal, depois a professora adoeceu e há três semanas que não dá aulas, hoje, aproveitando a folga na agenda, fui com o Gandhe até à grande superfície comercial, aquela que diz que "eu é que não sou parvo" (não, que ideia), para saber o ponto de situação da minha prenda de natal (pelo andar da carruagem, deve chegar a tempo dos meus anos, em maio).

A ver: Gandhe ofereceu-me um tablet como prenda de natal, daqueles com teclado incluído, porque era mais prático para eu andar nos blogs. Tão querido, tão atencioso. Abri a prenda, fiquei estupefacta, mas depois só fiquei com a caixa na mão, porque ele pegou no dito cujo e vai de explorar e pôr-se a instalar merdas. Ora, isto é um pouco como aqueles pais que oferecem a PS4 aos filhos, mas na verdade quem brinca são eles, os pais. 

Adiante, quando finalmente meti mãos no bicho (tablet) e comecei a usá-lo, constatei que o teclado tinha problemas: algumas teclas não correspondiam ao que era suposto. Por exemplo, eu carregava na tecla Ç e no monitor aparecia ; e como este exemplo, mais havia. Além disso, percebi que o teclado no tablet só atrapalha e disse logo que se era para trocar, eu não fazia questão de teclado.

Escolhida outra marca, foi lá ele fazer a devolução do artigo com defeito, artigo esse que foi embalado e colocado na prateleira para outro parvo comprar, e foi solicitado um outro modelo, que não havia disponível na loja. Isto foi a 30 de dezembro. 

Hoje fomos lá, eu incluída, já numa de rodar a baiana, porque sinceramente, no mínimo já deviam ter informado o cliente se o modelo solicitado havia ou não e previsão de entrega. Ora pois que chegamos lá, atende-nos uma menina, que chama o colega que tratou da situação a primeira vez, o qual, por sua vez, se desmancha em desculpas dizendo que o assunto tinha ficado esquecido (valeu a sinceridade, ao menos), uma vez que ele passou à chefia, que é responsável pelas encomendas de material, chefia essa que havia ido embora e já não estava lá.

Bonito serviço. E fica aqui o parvo do cliente à espera, a ter de se deslocar à loja, outra vez, para ver se lhe resolvem o problema. 

Portanto voltamos à estaca zero: foi pedido um modelo, que dizem estar descontinuado. Deixou-se então referência de outro, e ficou a promessa de um feedback até ao final da semana.

É o que eu digo: recebo a prenda de natal lá pelos meus anos, em maio (já disse, não já?!).

 

18
Jan16

Deve achar que como limões à dentada ao pequeno almoço

Na semana passada lá foi o menino ter com sua mãezinha, pois já se sabe que para trabalhar/fazer favores/tratar das merdas da senhora, é ele que serve. Este fim de semana dei com um saco cheio de limões no frigorífico. Os outros estão numa fruteira. Intrigada com o aparecimento de limões no frigorífico, e tendo em conta que o meu frigorífico não tem um limoeiro dentro, nem pare cenas, pergunto-lhe: que limões são estes?

- Foi a minha mãe que mandou quando lá fui há dias.

- Ahhhhhh (como se eu já não soubesse), mas ela acha que eu como limões à dentada ao pequeno almoço? Olha, vê lá se, quando lá voltares, trazes açúcar, para fazer umas caipirinhas. Ou isso ou começo-te a fazer sopinha de limão.

Pandora em modo bitch! 

E agora, o que fazer quando a sogra dá limões, não uma, mas DUAS vezes?! 

 

18
Jan16

Pandora, então esse fim de semana?

Começou na sexta à noite com uma saída com os amigos da dança. Eram quase 5h da manhã e eu a deitar-me.

Problema é que sábado de manhã era suposto acordar cedo e ir tratar de uma série de coisas. Não acordei na hora matinal prevista, mas também não foi muito depois disso. Portanto, dormir um par de horas fez de mim um panda zombie por todo o dia de sábado. De manhã tratei do que tinha a tratar, à tarde estava para tirar uma sesta e eis que estava na hora de ir lanchar com uma aniversariante, a quem eu tinha uns miminhos bem cheirosos para oferecer.

Regressar a casa ao fim do dia, ainda era cedo para tratar do jantar, mas se eu parava, era certo que adormecia em pé em menos de 2 segundos e meio. Então, fui passar a ferro. E não, não me queimei, nem queimei roupa, mas não me perguntem como consegui. Acabou por ser o Gandhe a tratar do jantar, e de ficar a arrumar a cozinha depois de jantar, e eu pensei que mal tomasse banho aterrava, qual quê? Despertei e ainda fui ver séries, enquanto esperava que a máquina lavasse para estender roupa.

Domingo. De manhã andei numa de fada do lar. Um assado de coxinhas de frango para estrear o forno novo, sopa de legumes para a semana, morangos para a sobremesa. Mas logo depois de almoço, montei acampamento no sofá e foi uma tardada com os gatos, Gandhe incluído. Ainda vi um filme, Hitman: Agente 47, e dois episódios da última temporada de Mentes Criminosas. Adormeci algures, lanchei, estive na ronha, e é este modo de preguiça ao domingo à tarde que tenho ativado nas últimas semanas. E têm-me sabido tão bem!

 

Sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pela estória de:

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D