Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estórias na Caixa de Pandora

Estórias na Caixa de Pandora

08
Mar16

Pandora, a sem estilo

Quando alguém me diz que determinada peça de roupa ou acessório é a minha cara, eu fico deveras surpresa. É que às vezes dou por mim a vestir coisas completamente diferentes, estilos totalmente contrários, e nem por isso me sinto diferente. Sou assim. Casual, informal e adepta do conforto, acima de tudo. E gosto de variar, de misturar, de me vestir consoante o que me apetece naquele dia, desde que me sinta bem.

Tenho uma queda especial pelo chamado boho chic, acredito que devo ter sido hippie noutra vida, mas isso não significa que me vista assim dia a dia, todos os dias.

Tanto ando de saltos como de sapatilhas, de sabrinas fofinhas como de botas. Tanto ponho um vestido como uns jeans, umas calças coloridas como umas pretas. Tanto uso rendinhas, como tudo liso, riscas ou flores. 

E só a título de exemplo. Ontem vesti skinny jeans pretas, botas de cano alto, enrugadas, salto médio, camisa ao xadrez, malha preta e casaco preto de estilo militar, assim, com ar de bad girl. Hoje fui de vestido florido, com sabrinas com grande laçarote, malha bege, cachecol rosa fofinho. 

E depois admiro-me que um colega de trabalho me arranje sempre personagens conforme vou vestida, e me diga que anseia pelo dia que apareça de catwoman. 

Serei um caso perdido ou preciso de internamento?

 

08
Mar16

Dia internacional da Mulher

Há quem concorde, há quem discorde deste dia. Há quem ache uma estupidez, há quem ache uma devida homenagem.

Eu, na minha insignificância, não vejo este dia como a oportunidade de ir jantar com amigas, ver um striptease manhoso, andar aos gritinhos, como se a minha única saída ou fuga da rotina familiar e profissional fosse essa noite de 8 de Março. Isso é subverter a simbologia deste dia.

E este dia serve para que nos lembremos de como as nossas antepassadas lutaram por direitos que hoje temos como adquiridos, lembremo-nos que, por esse mundo fora, a condição de se ser Mulher ainda é um fator de discriminação, de desigualdade, de condição inferior, quase equiparada a escrava. 

Este dia simboliza a constante luta pelos direitos das mulheres, que mais não são que os direitos do ser humano: a dignidade, o respeito, a segurança, a igualdade de escolhas e oportunidades, a liberdade. E, infelizmente, apesar de já se ter avançado social e culturalmente em várias partes do mundo, a verdade é que de forma global, nós mulheres sofremos de discriminação, de desigualdade, de julgamentos e pré-conceitos sociais que são chicotadas na nossa condição de mulher e ser humano.

Este dia existe não só para vestirmos de rosa, recebermos flores e mensagens nas redes sociais a parabenizarem-nos por sermos mulheres. Não existe só para irmos jantar com as amigas, numa noite dedicada às mulheres.

Este dia existe para lembrar a luta que todas nós temos pela frente. A luta pelos nossos direitos humanos. 

 

Sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pela estória de:

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D