Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estórias na Caixa de Pandora

Estórias na Caixa de Pandora

08
Set16

Obrigada, WOOK, por me fazeres cair em tentação

Manhã cedo, primeira consulta pelo mail, vejo um aviso a alertar-me para o término de um vale do cartão WOOK+. Ora, desperdiçar um vale de desconto para livros é pecado mortal, vai daí, num bocadinho analisei a minha (longa) lista de desejos WOOK e escolhi não um, mas dois. 

Recentemente li um livro de Joanne Harris. Coincidência ou não, revi o filme Chocolate que passou, num destes domingos, na Fox Life. E fiquei com saudades das personagens. Assim, a escolha recaiu sobre Sapatos de Rebuçado, para reencontrar a misteriosa Vianne Rocher.

E aproveitando que há descontos imediatos, portes grátis e mais acumulações em cartão, encomendei este thriller do momento:

E assim, a minha lista de desejos WOOK deixou de ter 32 livros para ter 30. 

 

Agora estou de phones enfiados nas orelhas, a ouvir Queen, porque me apetece, porque acordei com a Bohemian Rhapsody na cabeça. E porque o trabalho que estou a fazer exige alguma concentração, nada melhor que música nos ouvidos para nos abstrair do mundo que rodeia. 

 

06
Set16

E é isto

Hoje diz que em Aveiro pode-se chegar aos 33º. Uuuuhhhhh a loucura. Só por causa das coisas saí de casa de vestido branco, curto. Ah, e um cardigan, ainda que fininho, porque a neblina matinal é fresquinha.

Agora ando em modo enfermeira de um dos felinos do burgo. Extraiu seis dentes. Fez destartarização. Veio para casa com um leque de medicação, nova consulta para daqui a dois dias para avaliar recuperação do pós operatório. O bichinho ontem bem que esfregava as patas no queixo, e eu a ameaçar, de coração apertado, pôr-lhe o funil no pescoço, não fosse ainda magoar-se. E ele bem que queria comer, mas não conseguia. Dei-lhe paté, não quis. Humedeci a ração que ele tanto gosta, não comeu. Só o senti mais relaxado quando lhe dei o analgésico. 

Hoje de manhã, antes da medicação, tentei que ele comesse. Só bebeu água. Eu sei que faz parte do processo, da recuperação, mas custa ver o meu balofo naquele estado, prostrado, com olhinhos de quem quer muito colinho e miminho porque não está bem.

 

No fim de semana arrebatei do roupeiro e gavetas um monte de roupa. Uma boa parte já foi encaminhada, outra está à espera que eu tenha tempo para enviar por CTT. Mas o mais estranho é que, apesar da quantidade de coisas que tirei e depois de reorganizar o que ficou, nem por isso as gavetas ganharam mais espaço. Calha bem, que este imprevisto com o gato fez-me gastar uma quantia considerável de € que me vai manter afastada de compras por uns bons tempos.

 

Domingo ferrei o dente a uma bela de uma francesinha, em boa companhia, e acabámos a tarde num bar de praia, resfastelados nuns sofás bem catitas, a comer um corneto de limão. A tarde acabou a combinar uma churrascada para este sábado, e eu já ando a planear sobremesas, petiscos, acompanhamentos. Vai ser uma sunset party lá no meu terraço, mas em estilo pelintra: é amigos, churrasco, feijão com arroz, caipirinhas... troca-se a música de um qualquer DJ por boa conversa e gargalhadas.

Falta muito para sábado????

 

05
Set16

Um animal NÃO é um acessório de moda

Na semana passada liguei, na hora do lanche, à policlínica veterinária para ver se ainda conseguia uma consulta para um dos meus gatos. A minha colega (com quem já tive este episódio) pergunta-me o que se passa, digo-lhe que ele anda com problemas nos dentes, e ela faz uma expressão parva e tece um comentário como se eu fosse uma maluca que se preocupa com os dentes dos gatos.

Na consulta de sábado, em conversa com a veterinária, falo desta moda do Bulldog Francês e na parvoíce que é esta mentalidade medíocre de achar que um animal é um acessório de moda, ao que a veternária responde que se as pessoas efetivamente soubessem no que se estão a meter quando compram um Bulldog Francês, talvez não aderissem à moda, que sim, é uma parvoíce sem tamanho esta coisa das pessoas quererem raças porque está na moda, porque toda a gente tem, porque também querem, e nem se preocupam em saber mais sobre a dita raça, características, problemas comuns de saúde, ou seja, prepararem-se devidamente para a chegada de um animal, seu acompanhamento e cuidados a ter. Por isso é que quando os problemas de saúde surgem, ou quando se cansam de cuidar do animal, a rua ou o despejo num canil ou associação é sempre a via mais fácil (será que também se descartam dos miúdos quando eles sujam o sofá, quebram um vaso ou fazem merda atrás de merda?). Já para não falar que para comprar o dito cão de ração, não se importam com os €, mas depois alimentar em condições, cuidados de saúde, e tratamentos quando ficam doentes, ah isso é muita despesa. 

Coincidência ou não, também este fim de semana cruzo-me com este artigo na Visão: 

O Bulldog Francês tornou-se um 'acessório da moda' e há pessoas que devolvem cães porque não combinam com o sofá

Não tenho muito mais a acrescentar ao artigo. 

Hoje tive de ir deixar o meu gato à policlínica, vai lá passar o dia para ser sedado e poderem tratar dos dentes: destartarização e extração dos que estiverem em mau estado. Avisei a minha colega que poderia atrasar-me, para avisar o chefe, caso passasse da hora. E deve ter avisado, apesar de eu até nem me ter atrasado, porque ainda não são 10h da manhã e estou farta de ouvir boquinhas sobre gatos.

Eu respiro fundo e nem respondo. Para quê? Não entendem, nunca vão entender. Em mim vêem a maluquinha dos gatos, a amiga dos animais, dizem-me para me deixar de gatos e ter filhos. Como se eu, por acaso, também lhes desse bitaites sobre a vida deles, os filhos ou o raio que os parta. Hoje estou azeda. E a morder a língua, claro, porque se fosse a responder à letra às piadinhas e boquinhas, as consequências para mim não seriam muito simpáticas.

E é sempre isto, no fundo, o que nós, defensores dos animais, sofremos. É este gozo e estas acusações, é este calar porque não vale a pena argumentar com mentalidades que continuam a ver animais como coisas, como objetos que se têm, de preferência que sejam da moda, para estar dentro das tendências. 

E no meio de tanta estupidez, sou eu que estou errada, por ver nos animais seres vivos que sentem, sofrem e têm necessidade de cuidados vários, como qualquer ser humano vivo?

 

 

04
Set16

New red

Já tinha dito aqui que havia uma nova marca de coloração vegetal que eu queria experimentar. Este fim de semana chegou a oportunidade.

A cor que tinha ainda estava boa, as raízes não destoavam assim tanto, até porque para evitar isso escolho sempre coloração com base na minha cor natural. O problema é que os brancos nascem, e eu andava aqui com um ninho de pequeninos brancos bem na frente, a fazer de mim um projeto a Cruela De Vil. Pois que aproveitei a ida à consulta na nutricionista, e trouxe da loja a nova coloração para fazer.

IMG_20160902_221253.jpg

 Foi a minha primeira vez com esta marca. A textura é fenomenal. Muito cremosa, mas muito muito cremosa. Não escorre, pelo que apliquei muito bem, sem escorrer ou salpicar a parede ou o espelho ou o chão. Parecia que estava a aplicar máscara no cabelo. Tempo de atuação 20 minutos. As outras costuma ser mais tempo. O champô e condicionador que vem na embalagem (da mesma marca) são espetaculares, tanto que vou comprar com toda a certeza na próxima vez que voltar à loja. A cor ficou exatamente o que eu pretendia, zero brancos (adeus projeto Cruela De Vil) e o cabelo bem brilhante e sedoso. Só resta ver como se aguenta a cor ao longo das lavagens, mas para já, estou totalmente satisfeita e é, sem sombra de dúvidas, mais uma boa marca nas colorações vegetais.

Em comum com as outras marcas que já experimentei: não deixa a pele manchada, basta lavar normalmente com gel de banho que sai sem ficar manchas; não irrita couro cabeludo; deixa o cabelo muito hidratado e brilhante; a cor é muito natural e bonita; não mancha toalhas, vão a lavar normalmente e não ficam com nódoas. Só fica a testar a durabilidade, mas se for como as outras, aguenta muito bem a cor, pena são os brancos que me aparecem antes do que seria desejável.

Como em equipa vencedora não se mexe, eu cá vou continuar nas colorações vegetais porque, para mim, só tem vantagens. E agora com três marcas à disposição para escolher e ir alternando, conforme me apetecer, não tenho mesmo vontade nem curiosidade de andar a experimentar outro tipo de coloração. 

 

02
Set16

Planos para o fim de semana

Rumar a um paraíso escondido, com vouchers oferecidos, e desfrutar de paz, sossego, boa comida, boa piscina, spa e lá lá lá... só que não!

Gandhe amanhã trabalha. Eu vou aproveitar para concluir a tarefa de destralhar roupeiro e gavetas. Ao fim da manhã tenho de levar um dos gatos à clínica, felizmente consegui consulta, porque ele anda com um problema nos dentes e já me anda a preocupar.

Domingo há almoço com uma amiga para pôr conversa e abraços em dia.

E nos entretantos, há roupa para lavar, estender, passar, comida a fazer, na loucura queria ver se limpava os vidros que não limpei nas férias. 

Uma vida muito interessante, portanto!

 

02
Set16

Jogo do Galo*

IMG_20160811_125616.jpg

Olhar para esta foto dá-me vontade de chorar. Não pelos presuntos, que isso, paciência, mas pelo contexto. Pele bronzeada, areia, sol, mar, férias, sem relógios, sem horários, sem preocupações... eu já ia de férias outra vez! E começa a bater aquela melancolia de quem está quase a despedir-se do verão. Anoitece mais cedo, as manhãs estão mais frescas, as noites também. Pelo menos aqui na minha terra, que desconfio que esteja muito próximo do Pólo Norte. 

Mas pronto, é assim o ciclo das estações. E hoje é sexta, venha o fim de semana para aproveitar! 

 

*quando olho para a marca do biquíni só me lembro do jogo do galo. Porque será? 

Pág. 3/3

Sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pela estória de:

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D