Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Estórias na Caixa de Pandora

Estórias na Caixa de Pandora

13
Dez23

87/365

Quão desconfortável é sentir que não temos "lugar" onde estamos? 

E quando nos sentimos sem lugar, facilmente sentimos as atitudes dos outros como uma anulação, um desrespeito por nós.

Para que serve sentirmos isso?

O desconforto mexe cá dentro. E ou enfiamos a cabeça na caixa da areia e esperemos que passe, ou encaramos esse desconforto e vemos o que ele veio trazer. Normalmente vem trazer aquele mau estar que nos faz querer mudar algo. Vem o medo, e também vem a força e a coragem para esse passo para a mudança. O desconforto empurra-nos para fora da zona de conforto. É isso que ele vem trazer.

E eu sinto um desconforto cada vez maior a nível profissional. Já não é só a desmotivação, o cansaço ou a frustração. Já vai além do não ter perspetivas de progressão de carreira, da estagnação e desvalorização. 

E é neste ponto que me afundo, a desvalorização. Tenho-me sentido tão sem valor, tão sem nada de especial ou que me distinga, tão sem talento ou dom, ou o que quer que me pudesse fazer avançar para um novo caminho.

E quando alguém manifesta interesse profissional no meu perfil e competências, bloqueio-me com o síndroma do impostor: ah vocês pensam isso porque não me conhecem ou convivem comigo como as pessoas do meu departamento. 

O meu departamento. Há pessoas impecáveis, humildes, trabalhadoras, competentes, empenhadas. São poucas. E geralmente são as ostracizadas. A maioria é movida pelo tamanho dos seus egos. Conflitos e emaranhados jogos de poder numa hierarquia que não devia sequer existir. Sem falar na imaturidade de contratações recentes. Sentem-se estrelas em ascensão (pudera, entram com regalias e salários que quem já cá está não tem), como se viessem salvar a empresa que, bem, já funcionava e resultava antes delas entrarem.

Este ambiente angustia-me. Suga-me a boa energia, a vitalidade. Empurra-me para a porta de saída porque cada vez mais é desconfortável estar aqui.

Sinto não ter lugar. E é estupidamente desconfortável esta sensação. 

3 comentários

Comentar post

Sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pela estória de:

Blog Afiliado

Arquivo

    1. 2024
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2023
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2022
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D