Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estórias na Caixa de Pandora

Estórias na Caixa de Pandora

23
Fev16

Efeito secundário da aula de dança

Acordar com vontade de ouvir esta música e andar pelo quarto a treinar os passos de cha cha cha.

Ontem a aula foi cha cha cha. Como mudei de escola e estou numa turma "abaixo" do nível em que me encontro, para os colegas ontem foi a primeira aula que tiveram de cha cha cha, e para mim foi curtir cha cha cha, que eu adoro. Sou ave rara. A maioria não gosta, protesta, resiste, no social são poucos os que se atrevem a dançar e é muito raro passar um cha cha cha no social. Mas eu gosto. Gosto das músicas, gosto do ritmo, gosto do ar meio sassy (atrevido), meio sensual. Ontem a aula pouco me trouxe de novo, foi bom para rever bases, mas acima de tudo para descontrair na aula e encarnar o espírito sassy do cha cha cha.  

When marimba rhythms start to play
Dance with me, make me sway
Like a lazy ocean hugs the shore
Hold me close, sway me more

 

04
Dez15

Pandora, como vai o curso intensivo de Lady Styling?

Ora, tirando as dores nas costas, nos braços e nas pernas, vai bem obrigada.

A aula ontem foi dedicada a técnica de spinning (isto assim soa mesmo a pomposo), mas pronto, spinning neste contexto são as rotações. De modos que a aula ontem foi modo pião: gira que gira e torna a girar. Manter foco, ombros encaixados, costas direitas, cabeça e pescoço em linha, aproveitar movimento de braços para ajudar na rotação, e vai-se a ver, as pernas numa rotação não fazem nada, é tudo aerodinâmica de braços e ombros e cabeça. Ai ai ai, que ando com os neurónios às voltas com tanta informação, tanta técnica a trabalhar. 

Hoje estou dorida das costas. Das pernas também. 

E para terem uma ideia do que raio ando eu a aprender, deixo-vos uma pequena amostra.

Parece fácil, mas não é. E primeiro que se atinja este nível de naturalidade nos movimentos, é preciso comer muita sopinha de feijão.

No que me fui meter... 

 

 

20
Nov15

Damas, quereis sentir-vos patas chocas?!

Ide a uma aula de lady styling.

Ontem comecei o curso intensivo de lady styling na "nova" escola de dança. Achei que estava na altura de subir a fasquia, começar a ganhar maior técnica e amplitude no movimento corporal.

Pois a primeira aula ontem foi precisamente body movement. Posição de pés, pernas, flecte, estica, ao lado, com ou sem transferência de peso, menear de anca, rotação de anca e cintura, postura, movimento de ombros. E caramba, eu a ver-me grega para me equilibrar nos saltos naqueles exercícios, flecte, estica, transfere peso, rotação de anca, pose, postura... vou-me esbardalhar onde? Nos exercícios dos ombros. Eu a fazer movimentos ritmados e rotativos de ombros não é bonito de se ver. A Popota bate-me 100 a 0 em graciosidade. Se o objetivo era sentir-me sensual quando olhasse a minha figura no espelho, o resultado foi similar ao Mr. Bean a dançar. 

Ilustrando: 

Expectativa.

Realidade.

 

24
Set15

O regresso

Voltei às aulas de dança. Mudei de escola. Turma nova, professor novo, ainda que provisório, dado que a professora da turma está de licença de maternidade. Novo ambiente, novo método de ensino, tudo novo, menos a modalidade, que mantenho-me nas danças latinas. Estou a adorar. A saborear cada aula, agora apenas uma vez por semana, mas 1h30 de aula em modo non stop e de saltos altos é coisa para me pôr as pernas doridas, principalmente os gémeos. 

Aquele entusiasmo que havia perdido na escola anterior, regressou. A motivação idem. E dá-me prazer ir à aula, estar lá aquele tempo, sentir o tempo produtivo, sendo à mesma um divertimento, um convívio, um bocado bem passado. Saio cansada, mas ansiosa pela aula seguinte. Tinha saudades disto. Mudar de escola foi uma boa decisão, que quase tomei há uns meses atrás e depois recuei. Antes tarde que nunca, e o único arrependimento que posso, eventualmente, ter é mesmo o de não ter mudado há uns bons meses atrás, quando essa opção começou a pairar nas minhas ideias. Ter-me-ia poupado a muito desanimo, frustração e stress. Mas tudo faz parte do percurso de vida, e as dificuldades foram ultrapassadas, os objetivos alcançados, e agora é tempo de mudança. E está-me a saber muito bem esta lufada de ar fresco na dança. 

 

 

20
Jul15

Missão cumprida

Depois de tantas confusões, trocas, imprevistos, nervos à flor da pele, emoções ao rubro, já foi o espetáculo.

Na sexta o ensaio geral foi uma verdadeira cagada, nada melhor descreve o que aquilo foi. No sábado íamos ensaiando nos bastidores, a atuação da tarde não correu muito bem, a da noite correu bem melhor, da minha parte, pequenos enganos que corrigi logo, e ainda orientava o meu par "à força". O ambiente de bastidores, as brincadeiras, o convívio, a solidariedade e entreajuda que surge entre todos é o melhor que esta coisa de espetáculo de fim de ano nos pode proporcionar, mas, foi muito stress, muitos nervos, muitos imprevistos, e tudo isto a termos de treinar e executar uma coreografia exigente, complexa, que estava acima do nosso nível. 

Subir a um palco, pelo menos para mim, por muito amador que seja, implica responsabilidade e respeito para com um público que paga um bilhete para assistir. Implica trabalho, disponibilidade, entrega, implica lidar com nervos, com emoções à flor da pele, enfrentar obstáculos, imprevistos, ultrapassar medos e inseguranças.

E a sensação é que superei as expectativas, as minhas pelo menos, que como perfeccionista que sou, eram bem altas e exigentes. É boa esta sensação de dever cumprido, de objetivo atingido. E vale pelos momentos de convívio e diversão com os colegas, pelo apoio mútuo que se sente, pelo espírito de companheirismo que se vive nestes dias. Ao ver as fotos que andámos a tirar parece que foi tudo fácil e divertido. Não foi. Mas todos unidos neste propósito, conseguimos. Há amizades que saem reforçadas, há novas pessoas que se conhece melhor. E pelo menos, por tudo isto, que tenha valido a pena a semana de puros nervos e stress. Deu também para aprender umas quantas coisas, amadurecer. 

Com o que teve de bom e de menos bom, foi uma experiência única. E foi uma oportunidade para vestir a pele de pin up girl. 

Agora precisava mesmo era de férias para desligar a ficha. Duas semanas. Faltam duas semanas. Estou em countdown!

 

13
Jul15

Oh fim de semana, volta para trás!

Passa tao rápido que mal o vejo. Tendo em conta que domingo foi dia de ir almoçar e passear com sogra e mãe de sogra, eu estava a ver que não sobrevivia ao desastre. Sobrevivi. E ao fim do dia ainda tive um ensaio extra, porque o espetáculo de dança aproxima-se a passos largos e ainda há muita coisa a afinar. Esta semana, então, vou vomitar dança pelos poros, que há ensaios todos os dias, e alinhamentos de espetáculo, e marcações de palco. Ai, que ser artista cansa! 

 

14
Mai15

Semana atípica

Enquanto as redes sociais fervilham com o tema do bullying, a propósito do escabroso vídeo do grupo de adolescentes da Figueira da Foz - confesso que vi os dois primeiros minutos do vídeo e não aguentei mais quando se ouve uma jovem dizer algo como "agora vou descansar a mão" -, eu vou lendo alguns comentários ferverosos. Não quero opinar. Obviamente não gostei do que vi, não fecho os olhos, mas é tão mau o que aconteceu como as manifestações de ódio que agora os protagonistas de tal vídeo são sujeitos. "Quem anda à chuva, molha-se" e aqueles adolescentes sentem agora na pele o ódio que eles próprios mostraram com as suas atitudes de violência gratuita. Mas, dizer que a culpa é da educação dos pais, da escola, da sociedade, é demasiado simplista para um fenómeno tão complexo como este. Que sirva para mostrar que, apesar de menores, a violência demonstrada deve ser julgada e punida independentemente das suas idades. Afinal, são jovens em plena formação e desenvolvimento de caráter, e se não forem responsabilizados pelas suas ações, que adultos serão daqui a meia dúzia de anos? Ainda assim, não nos compete a nós, sociedade, vomitar nas redes sociais barbaridades como as que tenho lido: deviam ser violadas?! Não se está a perpetuar o ciclo de violência? É essa a noção de justiça que querem passar? 

Mas dizia eu que enquanto as redes sociais fervilham com este assunto, que sim, deve ser discutido mas em debate de ideias e busca de soluções, eu ando um pouco a leste. Os dias de muito trabalho deram agora lugar a formação pela empresa, mas fora do local de trabalho. Estou ausente daqui, estes dias, porque assim tem de ser. 

Hoje lá regressei ao exercício físico. Há uma semana que não tinha a minha aula de ginástica e hoje fui, com receio de vir de lá com os ossos num saco. Mas não. Ou a aula nem foi muito puxada, ou começo a ver, ao fim de um mês, a minha resistência e força a aumentar. Bom sinal, estou a atingir os objetivos, que isto não é só operação biquini, é procurar qualidade de vida a médio e longo prazo. Já sabemos que a idade não perdoa, a gravidade também não, e ou mexemos a musculatura e as articulações, ou é certo que dentro de poucos anos eu andaria aqui a levantar um braço com a ajuda do outro para poder pentear o cabelo ou lavar as costas. Sem falar noutras coisas. Subir um lanço de escadas e ficar de língua de fora como se os pulmões me fossem saltar pela boca não é bom sinal. Então é esta perspectiva que me faz automotivar e ir às aulinhas. Há dias que os agachamentos custam o diabo, os abdominais continuam a ser o meu calcanhar de Aquiles, mas em compensação, vou evoluindo nos alongamentos, vou sentindo maior resistência física, e claro, as calças de ganga voltaram a servir, coisa que há algumas semanas atrás me deixou de nervos em franja só de pensar nas calças novas que, de repente, não serviam mais. 

Não vou negar que tudo isto faz bem ao ego. Sinto-me melhor e isso sabe mesmo bem. Ainda me falta muito para ter as pernas da Ivete, como se algum dia as fosse ter, ou para olhar para o rabo e não ver buracos de celulite - maldita retenção de líquidos, um dos meus maiores problemas, beba eu a água que beber, faça eu a alimentação mais saudável que consiga, faça as drenagens linfáticas com regularidade, o meu organismo é assim e tenho de aprender a trabalhar para o ir contrariando. 

Amanhã é sexta, último dia de formação. Sábado espera-me um dia inteiro dedicado a workshops de dança, evento organizado pela escola onde ando. Vou experimentar tango!! Yeahhhh!!! 

Ando ausente e um pouco a leste das redes sociais, do blog, mas guess what? De vida preenchida.

Bom fim de semana a todos os que por aqui passam. Vou ali descansar o esqueleto e cumprimentar o sofá!

 

Sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pela estória de:

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D