Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estórias na Caixa de Pandora

Estórias na Caixa de Pandora

13
Dez16

Pandora e o karma

Hoje foi a troca de prendas ao estilo amigo secreto com as meninas da ginástica. 

A mim calhou-me uma senhora que raramente vai às aulas, pelo que foi um desafio perceber o que lhe podia oferecer com um plaffond até 5€. Procurei inúmeras hipóteses, até que na ida ao Fórum Coimbra no feriado, encontrei uns brincos muito mimosos, em tons de pérola, rosa nude e um fio dourado, que me pareceram ser ao estilo dela e estavam dentro do budget.

Agora adivinhem o que Pandora Maria recebeu????

IMG_20161213_222608.jpg

Ah, o belo par de meias natalícias, bem peludas por dentro.

São mega fofas, são. Mas eh pá, meias no Natal? Venha antes a canequinha do pai natal. Isto nem é pantufa, tão pouco dá para calçar o que quer que seja por cima delas. Digam-me, isto dá para quê mesmo?? Nem lareira tenho para as pendurar...

Mas são fofinhas, eu sei! 

 

13
Dez16

Amor no Natal é

Na semana em que o meu Sporting perde com o Benfica dele, entrar numa Casa do Benfica para lhe comprar uma surpresa extra para a prenda de natal. Estou a preparar-me para tal passo. Mas já liguei a pedir informações. De nada valeu, porque tenho de lá ir em certos horários porque só alguém da direção é que me pode esclarecer e vender o que pretendo.

 

Pensavam que eu ia falar da sogra?! Se souberem de um pack da Odisseias com viagem de ida para Namek, avisem. 

 

 

12
Dez16

O drama

Comprei a prenda para o Gandhe online. Indiquei a morada do local de trabalho para entrega. Chegou hoje. Encomendei na semana passada. 

Ora, agora ando com o caixote dentro da mala do carro, porque quando tiver um bocadinho em casa sozinha, preciso preparar o embrulho (que vai ter macacada)... e só depois é que poderá ir para junto da árvore de natal. Ou não. Que a curiosidade não é só dos gatos de quatro patas. Mas onde raio vou esconder um caixote grande, sem que ele dê com ele???? Andar com ele aos tombos na mala do carro não tá com nada.

Oh dramas natalícios.

 

Não, o verdadeiro drama é ter recebido o convite da sogra do demo. Como a avó vai estar presente, e ainda por cima apanhámos um valente susto com ela recentemente, quem sou eu para abrir guerra e pô-lo numa situação delicada de não passar o natal com a pouca família que tem? Sei que mesmo sabendo que vai ser uma palhaçada, faz questão de aproveitar a oportunidade da reunião familiar. E eu, bem, diz que por amor se engolem sapos. Eu tenho de engolir a sogra do demo. Vou ali começar a tomar xanax para chegar chegar ao Natal bem drunfada.

 

06
Dez16

I will survive

Não estou a contar os dias para o Natal, mas para umas mini férias. Ah se me apanho no dia 28 às 18h até penso que é mentira. Até lá carradas de trabalho. Hoje caiu-me mais uma tarefa em cima, daquelas que eu gosto à brava (not really). Um ficheiro que devia ter sido feito e atualizado com dados recolhidos ao longo do ano, que uns colegas começaram a fazer e a tratar, mas ficou parado, esquecido (convenientemente), e hoje o chefe lembra-se de me pedir resultados (valores) dos dados supostamente recolhidos nesse ficheiro. Não só pego numa tarefa "a meio", que nem a 1/4 está, como ainda tenho de limpar a merda que os outros fizeram do quase nada que fizeram. Lindo!

A par disso, há o trabalho diário a manter em dia, e que a bem verdade me ocupa as horas de serviço. 

As próximas semanas vão ser sofridas, cansativas, penosas. Ainda por cima vou ter formações pelo meio. Dias inteiros fechada numa sala de formação, o meu serviço à minha espera, mais o dos outros que devia ter sido feito e agora me caiu em cima. Apetece-me cortar os pulsos. 

Para ajudar, vai começar a saga dos jantares de Natal. É o das meninas da aula de ginástica já esta semana, é o da empresa, o dos amigos da dança, o da escola de dança, com um casal amigo... Não que não goste destes jantares, claro que sim. Mas para quem anda com os níveis de energia no limite da reserva, não sei onde vou buscar pedalada para tanto trabalho e eventos sociais. Isso e espaço para toda a comida que me espera. Chego a janeiro a rebolar.

 

02
Dez16

Pandora, em modo duende natalício

Se fosse duende do Pai Natal eu seria despedida. Sou uma desgraça. Na quarta fui comprar caixas de correio verde. Grandes são, falta-lhes altura. (Só me apetece dizer asneiras).

Corri três lojas... nada de postais de natal. A sério, já não se vendem postais de natal, assim, em cartão, com envelope vermelhinho e tal? Não???? 

Finalmente fui à loja do demónio natalício e era ver-me a pegar em coisas, a ficar com os braços carregados de coisas, e volta atrás e compara, e tenta decidir, e não pode ser, levar aquilo tudo: eu era ursos, eu era bonecos de neve, eu era pais natal, eu era renas, eu era lanternas, eu era árvores de madeira com pinhas, ou para levar velas, eu era tipo polvo, a agarrar em tudo... Lá me decidi por quatro, sim, apenas quatro novos elementos decorativos: um pai natal, um boneco de neve, uma rena e um globo de vidro com figuras de madeira lá dentro, tudo da coleção Forest.

Cheguei a casa e... o globo caiu-me ao chão quando estava a levar as coisas para a sala. 

Respira Pandora. Assim podes sempre voltar à loja para trazer mais umas coisinhas. Sorrisinho malandro.

Lá fomos para o jantar de aniversário e o meu embrulho fez sucesso. A aniversariante ia tirando sacos, de uma loja, de outra loja, de outra marca, já não sabia quando acabava. Adorou o voucher da massagem, até porque mal acabe as mudanças de casa, é mesmo isso que ela precisa. 

Ontem lá arrastei o homem para vestir a casa de natal. Trazer árvore e caixa de decorações da garagem, montar arraial na sala, decorar a árvore, este ano com bolas douradas e vermelhas, distribuir outros elementos natalícios, e no fim, eu suspiro e digo, com olhinhos de bambi:

- Podia ir comprar mais umas coisinhas para a decoração...

- Para quê??? Isto já está tão cheio. - Gandhe a cortar-me as orelhas de duende natalício. - Além disso, se comprares mais coisas, tens de comprar uma caixa de arrumação maior, que essa já está atafulhada. - Gandhe a jogar baixo e a atingir-me em cheio na minha costela minimalista.

Logo vou fazer a minha última tentativa de encontrar postais de natal, se bem que já andei a cuscar e na net encontram-se sugestões bem interessantes. Ainda me faltam uns miminhos para amigos. A prenda do Gandhe não está totalmente decidida, mas será comprada online, de maneiras que, ho ho ho, começou oficialmente a época natalícia, eu olho para a minha agenda e rebolo com a quantidade de jantares que aí vêm (três dos quais são seguidinhos, assim, tau, sexta, sábado e domingo). Chego à noite da consoada e como só as couves.  

 

 

18
Nov16

Já que falei do Natal

Dia 1 de dezembro é o "meu" dia para vestir a casa de natal. Sigo muito a linha do menos é mais, até porque não sou grande fã desta época. Vestir a casa de natal ajuda a entrar no espírito, aproveitar a época para mimar as pessoas especiais que me acompanharam ao longo do ano ainda é o que mais me entusiasma. 

Este ano já vi alguns catálogos de natal. Bem, o catálogo da loja De Borla está uma tentação do demónio natalício, que apetece comprar decorações novas e esquecer as que estão encaixotadas na garagem. Mas não pode ser. Ou podia, mas o meu orçamento tem outras prioridades, e o espaço de arrumação não é assim tanto que me permita ter um verdadeiro arsenal natalício encaixotado durante 11 meses na garagem. Posto isto, calma Pandora.

Adoro a minha árvore. Tem 1,50m. Perfeita para mim, que assim não tenho de me encavalitar num banco para a decorar. É farfalhuda, é verde, mas as pontas dos ramos são brancas, a simular neve, e lá pelo meio tem pinhas "naturais". Só a árvore com umas bonitas luzes já faz um vistão. Portanto, e com uma árvore já com os seus detalhes, tenho apostado em decorações simples, minimalistas. Bolas vermelhas. Houve um ano que decidi comprar bolas prateadas. O ano passado misturei vermelhas e prateadas, quando por norma só ponho uma cor. No topo não ponho uma estrela mas um coração feito em tecido que uma amiga me ofereceu há uns anitos, e faço questão de todos os anos o pôr na minha árvore, e todos os anos me lembro de quem mo ofereceu. 

Como não encho a árvore de bolas, as bolas que sobram costumo pôr nos vidros que tenho, solução decorativa que adoro, porque facilmente se muda a decoração sem gastar muito. Umas fitas vermelhas no móvel ou no carrinho das bebidas, um arranjo de pinhas e azevinho, um boneco pai natal, e velas, velas, adoro velas. Pouco mais que isto. 

Os catálogos mostram-nos vários temas de decoração natalícia. Acho bonito um estilo moderno, em tons pretos e brancos, por exemplo, liláses e azuis também ficam engraçados e diferentes, mas sinceramente, não me diz nada sobre o natal. Por isso demoro mais tempo nas páginas do tema escandinavo, mais tradicional nos tons vermelhos, ou no tema natura ou forest, depende do catálogo, que basicamente é uma árvore com decorações em tons naturais, de madeira, com mochos e esquilos, com casinhas de pássaros, bolas de ráfia, pinhas, biscoitos de gengibre e duendes, evocando os bosques encantados. E é este estilo que mais me tem encantado, mas que implicaria um investimento grande na decoração da árvore, até porque estes pendentes são vendidos avulso, ao contrário das bolas que facilmente encontramos packs de 30, 50, 60 unidades a um preço simpático.

Então estou aqui a pensar misturar um pouco os dois estilos na decoração deste ano. Manter o tradicional vermelho, acrescentar uns elementos natura. E assim, o que me saltou logo à vista foi um comboio em madeira, que é porta velas, e que ficaria lindo na minha estante, uma árvore de madeira com pinhas, de 40 cm, que ia ficar linda no móvel da TV, e era segurar-me, porque o catálogo está irresistível...

forest1.JPG

forest2.JPG

 

 

 

 

 ... e apetece comprar T-U-D-O!!! 

 

18
Nov16

Deu-se o click

Esta semana a minha doce menina-princesa enviou-me uma mensagem pelo facebook onde me dizia já ter o meu miminho natalício, mas que só o podia enviar no início do mês.

E eu fiquei com aquele ar de "o quê? como? Natal? quando?" e caiu-me a ficha. 

Zero de espírito natalício, zero de prendas ou, no mínimo, lista de pessoas e ideias para ofertas.

Em minha defesa, a lista de pessoas a mimar é pequena. É a que me faz sentido, não por poupança no orçamento, mas porque são as pessoas especiais durante os restantes dias do ano, nos meus momentos de alegria e tristeza, as que, independentemente da distância geográfica, estão comigo e eu com elas, no matter what. Então, e apesar de não ter nada decidido em definitivo, já tenho algumas ideias para algumas dessas pessoas. E confesso, a mais fácil de escolher foi a da Isabel. Ainda não está comprada. Mas já está decidida há muito tempo. Basta saber o que ela gosta, o que ela valoriza, o que para ela é especial. E como ela me escreveu no meu aniversário, mais do que dar prendas, o importante é criar momentos especiais às pessoas que nos são especiais. E, sem dúvida, este está a ser o mote das minhas escolhas para os miminhos natalícios. Pensar em cada pessoa e encontrar aquilo que lhe pode proporcionar um momento especial neste Natal. 

Assim, já andei a ter algumas ideias, já encontrei excelentes sugestões. Só falta mesmo eu respirar fundo 47 vezes e enfrentar a multidão nas compras: entrar nas lojas que já selecionei, ver in loco o que idealizei, sem deixar de estar aberta a outras sugestões que se apresentem perante os meus olhinhos e me encham o coração a pensar naquela pessoa. 

Acho que vou tentar a minha sorte este fim de semana (começando já hoje à noite), crendo que ainda não há assim uma multidão tão enfurecida em busca das prendas de Natal.

Wish me luck! 

 

28
Dez15

Conto de natal: ironia natalícia!

Há um ano atrás escrevi este post. Longe de imaginar que um ano depois teria um natal assim.

Ora bem, na semana antes do natal eis que senhora sogra diz ao filho que este ano não está para se chatear no natal, até porque a mãe vai para casa do outro filho (irmão com quem não se dá), o namorado vai para casa da filha mais velha, e ela não está para se chatear e não quer fazer nada.

Eis que rejubilei com a perspectiva de um natal a dois, com quatro gatos, um natal sem fretes, sem hipocrisias, sem merdas (pardon my french), mas, ao mesmo tempo, fiquei com aquela recusa dela, em estar com o filho na noite de natal, entalada, até porque era só mesmo ele (nós) que tinha, curiosamente a mesma (e única) pessoa que tem ao longo do ano para o que precisa e quer. Mas cá se fazem, cá se pagam, e pode ser que agora o filho comece a perceber a mãe egoísta que tem e deixa de estar sempre disponível para as vontades e desígnios de sua majestade. 

Portanto, eu já há muito sou orfã de família viva, ele, que também não tem propriamente uma família unida já que a senhora mãezinha não se dá com ninguém,  este ano viu a mãe bater-lhe com a porta na cara, ficámos os dois num adorável pijama christmas. Preparei a nossa ceia, petiscos vários, e assim estivemos no nosso lar doce lar, em paz e sossego (o sossego só se sentiu quando os gatos adormeceram). Vimos séries, filmes, petiscámos, tirámos sestas, trocámos prendas, acabei de ler um livro que andava a engonhar, e lá se foi o natal, para o ano há mais.

No rescaldo tenho é o homem com um principio de infeção urinária, que me fez cancelar um almoço muito especial que estava marcado para ontem; já foi finalmente ao médico, antibiótico durante cinco dias, uma passagem de ano que se prevê regada a água (deve ser, deve), e assim se volta à vida rotineira depois da pausa natalícia, ainda que a meio balanço para a festa de passagem de ano, e nós, já que tivémos um natal calminho, na passagem de ano vamos em grande grupo de amigos fazer a festa. 

 

23
Dez15

Um doce e feliz Natal!

natal_especial.jpg

Aos amigos, aos leitores, aos que comentam, aos que lêem, aos que aqui gostam de vir, aos que vêm de passagem, aos curiosos, a quem ler isto, desejo-vos um feliz e doce Natal! 

Que o vivam em harmonia, que façam da sua magia a luz que ilumina sonhos e esperanças, que renovem a confiança de que tudo é possível, basta querer muito. Que a vida vos sorria, no Natal e nos restantes dias!

Agora ide lá atacar a mesa dos doces, maldizer as calorias, renovar promessas de regresso ao ginásio e à dieta em janeiro, enquanto lambem os dedos das rabanadas, e ficai felizes com as prendas. 

HO HO HO FELIZ NATAL!!! 

Sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pela estória de:

Blog Afiliado

Sugestões

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D