Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Estórias na Caixa de Pandora

Estórias na Caixa de Pandora

17
Ago15

Back to work

Apesar de nas férias não ter acordado tarde, o dia mais tarde que acordei foi precisamente ontem, às 10h30, mas tendo em conta que fiz noitada no sábado e deitei-me perto das 3h da manhã, justifica-se. Dizia eu que apesar de não ter acordado tarde durante as férias, a verdade é que hoje doeu o tocar do despertador. Esta ditadura do acordar àquela hora, ter tempo contado para vestir, tomar o pequeno almoço, tratar dos gatos, arranjar-me (ah, maquilhagem, não sei o que isso é há uma eternidade de duas semanas), sair de casa e felizmente trabalho perto de casa e não tenho de passar por grande trânsito. 

Ah chegar ao trabalho, caixa de e-mail cheia, papéis à minha espera, assuntos pendentes, ter outros colegas que agora é a vez das férias deles e enfrentar as tarefas que se redistribuem pelos que ficam ao serviço.

Palpita-me que antes de chegar o fim da semana eu estou a clamar por férias.

Mas, há que agradecer poder dizer que se acabaram as férias e se regressa a algum lado. É que já estive sem esse local de trabalho onde regressar, e não eram férias, era tempo disperso, vazio, dias sem fim, uns de agonia e desespero, outros de alguma ténue esperança que aqueles dias vazios não iam durar para sempre. É bom eu hoje poder dar graças pelo despertador tocar cedo e eu ter de me levantar, fazer as coisas com tempo contado para picar cartão a horas e encontrar muito serviço à minha espera. E as férias ganham novo sabor por isso mesmo. Porque são férias: uma pausa nos dias de trabalho, nas rotinas, na correria do dia-a-dia.  

As minhas já foram. As próximas não sei. Em Novembro acaba o contrato e logo se vê o que vem depois. Que venha mais trabalho para eu poder desejar e planear férias. 

Agora é hora de retomar os horários, a rotina dos dias. Em breve haverão mudanças nas rotinas diárias, mas até lá, há que engrenar no ram-ram do dia-a-dia com este ânimo renovado, com as baterias (re)carregadas, e aproveitar o que resta desta leveza nos ombros, desta descontração que as férias nos permitem.

 

Sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pela estória de:

Blog Afiliado

Sugestões

Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D