Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estórias na Caixa de Pandora

Estórias na Caixa de Pandora

19
Ago19

Então e que tal a estreia em fato de banho?

Ora, se bem se estão lembrados, aqui a menina, no seu dia de aniversário, presenteou-se com dois fatos de banho todos catitas

Para começar, sim, usei-os, uma vez cada um nas férias a sul. Sim, senti-me super bem com eles. Mas também estava confortável com os biquínis, pelo que acabaram por ser a escolha na maior parte dos dias. Não senti mais calor com eles vestidos, e até davam imenso jeito para entrar na água, porque minimizavam o impacto naquela zona crítica, ali da barriga, depois de estar a tostar ao sol levar com água fresca 

Ora de regresso às praias locais, aí vou eu de fato de banho e uma triste e desagradável surpresa: o fecho de encaixe atrás partiu. 
Eh pá fiquei danada e podre da vida. Era a segunda vez que vestia o fato de banho (o azul e rosa com o nó no peito), ainda por cima o meu preferido, e não é de todo aceitável que um fato de banho de 40€ (bem sei que há mais caros), de uma marca com nome no mercado, ficasse assim inutilizado por partir a peça do encaixe do fecho.

Fiz a compra em maio. Obviamente já não tinha talão. Pensei e repensei se valia a pena ir à loja. Decidi que sim. O "não podemos fazer nada" estava garantido, pelo que, e sem intenção de ir armar peixeirada, ia simplesmente demonstrar o meu desagrado perante a situação. Não é um fato de banho comprado ali na loja dos chineses por 10€.

Fui verdadeiramente surpreendida. Primeiro, agradeço ao universo ter-me posto aquela assistente de loja à frente. Super simpática, prestável, explicou que pelo cartão cliente não têm acesso ao histórico de compras, mas se eu sabia o dia exato da compra, ela pediria o relatório de vendas desse dia, acederia à minha compra e poderia registar uma troca. Comentou que, em fatos de banho era o primeiro, mas em biquínis têm tido devoluções pelo mesmo motivo, pelo que é óbvio que a marca deve repensar os acessórios que aplica nos seus artigos de banho. Perguntou-me se queria trocar por um igual. Fui sincera: adoro o fato de banho, mas para levar igual e voltar a acontecer, se puder então trocar prefiro outro. Sem problema. Escolhi outro, mas de apertar com laçada (não me voltam a apanhar com aqueles fechos de encaixe em plástico). Só havia o S disponível, tive receio que não me servisse, já que os outros eram M, mas serviu (lá está, apertar com laçada torna o fato de banho mais ajustável).

Estava eu, além de surpreendida, toda satisfeita da vida por me trocarem o fato de banho (embora tenha pena porque o outro ficava-me mesmo bem), quando a menina ainda me diz: ah, mas vai ter de escolher outra coisa, senão fica no prejuízo, porque o preço deste que vai levar fica abaixo do que pagou pelo outro. Eu ainda disse que não fazia mal, prejuízo era ficar com um fato de banho inutilizado e usado apenas duas vezes. Insistiu que não, que em sistema a troca tinha de ser feita pelo mesmo valor, portanto (e porque estamos em saldos e o fato de banho que escolhi está com um preço para além de extraordinário, 18,99€, quando o preço original era 39,99€), tinha até X€ para escolher artigos. Andei lá de volta dos vestidos de praia e trouxe dois: 

O azul com os pompons já não se encontra no site. 

E pronto, para quem estava numa de vai, não vai, não vai valer de nada, acabou por ir e ficar bastante surpreendida com o serviço pós-venda. Assim se conquista e fideliza um cliente, em vez de o perder por falta de qualidade em artigos, cujo preço não é assim tão barato para que tenha este tipo de problemas. 

Agora venham mais fins de semana de sol e calor para eu usar e abusar (abusar já fica para o ano) destes novos mimos. 

Entretanto, e porque reformei dois biquínis que me estavam um tanto ou quanto desconfortáveis no peito, fiquei apenas com um estampado, cuja parte de cima tanto uso com a tanga igual como com uma azul escura, e comprei uma parte de cima amarela para conjugar com a tanga preta e a tanga azul escura. 

Posso começar as férias outra vez?! 

A verdade é que é nesta altura de fim de saldos que se encontram bons preços e vale a pena investir.

Nesta história toda, dentro do azar tive sorte, que um fato de banho novo estragado rendeu-me três peças novas. 

Moral da história: o "não" está garantido, portanto, é perder a vergonha, não dar como certo que não vão resolver nada e ainda vão gozar com a nossa cara, e ir. É que podemos estar redondamente enganados, e o serviço pós-venda ser cinco estrelas e resolver, da melhor maneira possível, o problema do cliente.

 

14
Ago19

Enquanto mundo e meio fala da greve dos combustíveis, eu também quero abordar um assunto de extrema importância (ou não)!

Caríssimas marcas de underwear (dito assim a coisa parece séria),

Venho encarecidamente deixar-vos um apelo, porque vocês baralham o povo.

Alaber, há dois anos ofereceram-me umas calças estampadas pelo aniversário. Giras, assim num padrão com tons rosas e lilases, daquela marca cujo segundo nome é Secret, mas não é a Vitoria, é a outra, da plebe. As calças eram de tecido leve, fresco, estavam na moda, e tinham elásticos nos tornozelos e tal. Quando mas ofereceram, disseram cordialmente que eu estava à vontade para ir trocar, eram umas calças de praia/verão, mas se eu preferisse outra coisa. Eu até achei piada às calças. Confortáveis e tal. Levei-as à Feira Medieval de Santa Maria da Feira e uma amiga, com olho para estas coisas, perguntou-me, muito intrigada, que fazia eu com calças de pijama?

Contei-lhe a história e ela garantiu-me que eram calças de pijama, até havia o top a combinar. 

Ora fod@-se. Escusado será dizer que fiquei com vontade de me enfiar num buraco, ou ir aos árabes e comprar uma burka. Mas pronto, no meio da multidão da Feira Medieval o que não faltam são bobos da corte e parolos.

Desde então, quando entro nessa loja (e noutras semelhantes, que eu para além de plebeia, sou pelintra, e vou à Te...nis que é maibarato - e já sei que na Primark há pijamas a 3€, mas eu para ir a uma Primark tenho de fazer 70km ou mais, lá se vai o barato) e fico sempre na dúvida se as calças ou os calções são para dormir ou para andar na rua. Portanto, só é burro quem não pergunta, e lá vou eu perguntar, quando não vejo identificado em lado nenhum se é nightwear (vulgo pijama) ou outwear (roupa de andar cá fora).

Semana passada, eu fresca e fofa a beber uma caipiblack numa esplanada com vista para a Ria Formosa e passa uma adolescente que me chamou a atenção porquê?? Porque vestia uns calções iguais iguais iguais, sem tirar nem pôr, a uns que eu tenho. E os meus são calções de quê? Isso mesmo. PIJAMA.

Portanto, se houve aquele breve momento de solidariedade para com a moça e o seu equívoco, há que admitir que o raio dos calções são tão giros que passam bem por calções de verão/praia/férias. Calções para o mundo ver e não apenas no vale dos lençóis. 

Eis que, posto isto, dizei-me lá se isto é só para baralhar o povo, ou é o concretizar daquele sonho que a malta costuma verbalizar constantemente: ah eu estava bem era de pijama o dia todo?

Grata pela vossa atenção.

 

24
Mai19

Faz de conta que sou féxion (pelintra star)

IMG_20190523_220959_987.jpg

IMG_20190523_220959_988.jpg

Há dias A blogger de maior influência nacional escreveu sobre o amarelo ser a cor da moda.

Ora, aqui está Pandora na moda. Pena que me esteja a passar ao lado uma carreira de influencer e lança tendências, porque aquele top (Stradivarius) já tem (pelo menos, do que me lembro) três anos. Sem falar de um casaco de inverno amarelo mostarda (Stradivarius again) que comprei no outono/inverno de 2012/2013.

Pronto, a sandaloca é que é nova, e indecisa entre um rosinha nude e um amarelo mostarda, optei claramente pelas amarelas, até porque nos últimos três anos tenho comprado alguns tops e blusas amarelos. Ah e também tenho umas calças do ano passado. 

Ah e tal o amarelo está na moda... pfffff. E ando eu a usar amarelo há anos.

 

 

13
Mai19

Ah e tal, com preto nunca me comprometo!

Entrei na Women Secret no dia do meu aniversário decidida, primeiro a aproveitar o vale de aniversário (que ainda acumulava com promoções em vigor na loja), e segundo a experimentar uns quantos fatos de banho pretos, que já tinha pré selecionado no site.

Dos fatos de banho pretos, só encontrei um dos que tinha selecionado, curiosamente era o meu preferido. Senti-me uma sortuda. Apostava tudo neste:

Peguei nele, confiante que me ia ficar bem. Afinal, com preto nunca me comprometo. O preto adelgaça a figura. O preto "emagrece".

Mas estes olhinhos aqui bateram de frente com uns quantos estampados e fiquei: ai jazus, será que me ficariam bem? Safoda, experimentar ainda é de graça e o NÃO fica bem está garantido.

Despe, veste o preto. Logo. Era o que estava decidida a levar. Era a minha aposta segura.

Só que não!

Não gostei, senti-me uma pequena bola de berlim de carvão, sem creme, coisa mais sem graça. Não, não e não. 

Já que estava despida, e estava, sem expetativa absolutamente nenhuma, experimentei os estampados.

UAU!!!!

Difícil, difícil foi escolher qual deles. E na loucura, vieram estes dois: 

E ainda ficou este debaixo de olho...

Na hora de sair do provador e deixar o que não queria, comentei com a colaboradora da loja que vinha decidida a levar um preto e saía com dois estampados. Ao que ela sorri e disse: pois, as pessoas acham que o preto emagrece ou disfarça a barriga, mas não, é exatamente o contrário. Os estampados disfarçam bem melhor. Fez boas escolhas.

E pronto, é este ano que eu, Pandorinha, vou desfilar no areal de fato de banho às flores tropicais. 

 

Para mais informações sobre os modelitos publicados, é clicar nas imagens. E não é preciso dizer que este post não é patrocinado, paguei o que trouxe, a única coisa que tive de oferta, para além dos descontos já em vigor para todaaaaaaa a gente, foi o vale de aniversário por ter cartão de cliente.

 

05
Mar19

Passar ou não passar...

Por norma quando compro roupa, antes de a usar, lavo-a. Manias. 

Por norma, a exceção é com casacos, até porque, por norma, não estão em contacto direto com a pele, e, por norma, casacos de inverno, sobretudos, trench coats, anoraque de penas, segue tudo para a lavandaria em final de estação. Assim como assim, também não sou daquelas que tem um arsenal de casacos de todas as cores e feitios.

Ora, semana passada comprei um clássico (dos clássicos) que, pasmem-se as fashionistas, eu não tinha: um trench coat bege. Ou melhor, ter até tenho, mas é um modelo curto, que fica bem com calças e eu ultimamente tenho usado e abusado dos vestidos, pelo que, com a meia estação à porta, senti falta do clássico em tamanho médio. Modelito escolhido, porque sou pelintra, o da Stradivarius, por 29,99€.

trench-coat.jpg

Pois que não o lavei, não senhor, mas passei-o a ferro para lhe dar ali um jeitinho. 

Pior a emenda que o soneto, bastou vesti-lo e sentar-me no carro para ficar com a retaguarda do modelito aos vincos numa questão de minutos.

Ora PQP!! Para isto tinha ficado quietinha com o ferro... 

 

Agora venham-me cá dizer que ah e tal compraste barato agora aguenta. Pois, se a Burburry me patrocinasse um modelito, eu não ia dizer que não. É que o saldo da minha conta bancária dá para ir à Stradivarius, e vamos com sorte. 

 

 

22
Fev19

Ca susto...

Distraidamente abri a newsletter de uma dessas lojas de fast fashion, da qual até sou consumidora em alguns tipos de artigos. Ora, abro a newsletter que anuncia as tendências da nova estação, o padrão e styling.

Quando vi qual era o padrão, acho que dei um salto na cadeira e por nano segundos pensei que tivesse entrado num qualquer site de fatos de carnaval.

Pois que o padrão tendência para a spring season 2019 é... (rufos)...

padrao-da-vaca-lisa.jpg

Cow girl!!! Yyyyyyyyaaaaaaaaa

Note for myself: vou continuar fora de moda. Nada a fazer. 

 

17
Mai18

Pandora vai à Bershka

E decide ir espreitar as culottes.

A grande vantagem, além de frescas e leves, é que pessoas baixinhas, como aqui o metro e meio de gente, não precisa fazer bainhas às calças. Claro que também não ficam onde era suposto ficarem, mas não faz mal. Eu até gosto mais que me fiquem pela canela e não pela barriga da perna.

Adiante. Aqui o metro e meio de gente achou que experimentar o S numa loja de roupa com tamanhos para adolescentes era boa ideia. As calças até são de elástico na cintura, e são modelo largo, e o tamanho mais pequeno é um XS, claro que o S me serve.

SÓ QUE NÃO!!!!

Desmoralizei e já não me apeteceu experimentar M, L e por aí acima até não haver mais alfabeto. Mas o raio das culottes são giras e o tecido é tão fresco e com um cair tão bom.

Bem, vou mentalizar-me que na BSK passei a vestir um L. Pelo menos... 

 

 

23
Abr18

Não há fome que não dê em fartura

Longe vai o tempo em que as férias de verão eram assim uma eternidade de quase três meses. Uma boa parte desse tempo era passado na praia (vicissitudes de ter praias às portas da cidade). E com tanto tempo disponível para me estender no areal, a verdade é que tinha um biquíni a uso. Chegava ao fim do dia, lavava, punha a secar, na manhã seguinte vestia o mesmo e siga pra praia.

Não havia cá usar diferentes biquínis com diferentes modelos e parecer uma zebra com diferentes marcas de bronzeado. Era um biquíni para o verão todo e guess what? Sobrevivi.

Depois os verões na praia passaram a ser duas semanas de férias (quando as havia) e fins de semana. E foi então que aderi à moda de ter vários biquínis a uso. Um desperdício, verdade seja dita. Porque houve verões que nem meia dúzia de vezes fui à praia, não chegava a usar os biquínis que tinha, ou como no ano passado, fui duas tardes e levei exatamente o mesmo biquíni. Preto. 

Porquê esta conversa?

Ora, porque começo a ser bombardeada pelas novas coleções de banho. E sim, ando a babar por alguns modelitos, daqueles que custam um dedo mindinho. Ou um terço de um rim. E para quê? Para ir meia dúzia de vezes, se tanto, à praia? 

Há dois anos refiz o meu stock de biquínis, até porque o meu corpo sofreu algumas alterações e deixei de me sentir confortável com os modelos triangulares e as tanguinhas de laçarotes que usava. Neste momento tenho três completos: um preto, dois estampados. Tenho ainda uma tanga branca que comprei para poder coordenar com as partes de cima, mas a verdade é que está por estrear. 

Se preciso de outro? Redondo não. Não sei que praia consigo fazer este ano. Como vão estar os ventos por estes lados da costa de prata.

Ainda assim ando neste masoquismo a babar pelos modelos que vão sendo publicados na página da Ros Beachwear, ou a pensar dar um saltinho à Women Secret porque já vi uns modelitos no site que me prenderam o olho.

E isto é estúpido. Não só porque na verdade não preciso gastar dinheiro em mais um biquíni (se bem que ainda não vi como me ficam atualmente os que tenho), como ainda por cima ando numa fase em que me sinto um tanto ou quanto sereia (metade mulher, metade baleia), pelo que seria doloroso enfiar-me num provador a experimentar biquínis.

Posto isto, deixo a reflexão: devemos apostar em quantidade ou qualidade, falando de biquínis. É que por um lado, comprar qualidade significa que um modelito dure uns bons verões, o que justifica por si o preço que custam certas marcas. No entanto, mulher que é mulher já fica difícil ter só um, quanto mais repeti-lo por vários verões. 

Oh dramas de uma pelintra a sonhar com o verão!! 

 

Sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pela estória de:

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D